Procure no JP

segunda-feira, 31 de agosto de 2015

Calor e muita emoção na primeira partida da final do Paulista Feminino


Com certeza muitos nem sabem, mas no domingo passado foi realizada a primeira decisão do Campeonato Paulista Feminino 2015. São Paulo e São José - que eliminaram respectivamente Santos e Audax na semi - foram a campo para os primeiros 90 minutos da grande final. O palco do confronto na quente tarde de agosto foi o Estádio Nicolau Alayon.

Esse foi um jogo que colocou frente a frente dois times que marcaram/marcam época no futebol do estado. O São Paulo foi campeão paulista em 1997 e 1999, esse com sensacionais 100% de aproveitamento, tendo uma grande equipe que contava com as inesquecíveis Sissi e Kátia Cilene. Nos anos seguintes nada de relevante aconteceu e o clube fez sua última participação no estadual em 2005. Falando nisso, já foi anunciado o "novo fim" do time logo depois da final, independente do resultado, a não ser que consigam patrocinadores. Uma pena.

Já a Águia surgiu nos gramados em 2008 e desde então se tornou numa potência. O clube foi campeão paulista em 2012 e 2014, da Copa do Brasil Feminina em 2012 e 2013, da Libertadores em 2011, 2013 e 2014 e do Mundial também no ano passado. Não há como negar que o São José é talvez o time feminino mais vitorioso do país em todos os tempos.


São Paulo FC (feminino) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


São José EC (feminino) - São José dos Campos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem para a primeira decisão com Katiucia da Mota Lima, Renata Ruel de Brito, Débora Moraes dos Santos e Adeli Mara Monteiro junto com as capitãs dos times. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo com tanto apelo, a cobertura da "mídia especializada" para essa final foi nula. Mais um capítulo do imenso descaso com que o futebol feminino é tratado por essas bandas. Quando a seleção perde em algum campeonato internacional aparecem dezenas e dezenas de experts da categoria rotulando as meninas de forma negativa, mas apoio quando elas precisam não existe. Não deveria, mas esse tipo de coisa ainda me tira do sério.

As meninas paulistanas e joseenses já haviam se enfrentado na primeira fase do Paulista com uma vitória para o tricolor e um empate sem gols. Para essa final, a vantagem de dois empates é do time do Vale do Paraíba. Pena que o jogo tenha sido abaixo do esperado, talvez por conta da alta temperatura que chegou a absurdos 35 graus (!) nos relógios de rua da Barra Funda.

O São Paulo foi perigoso em lances de bola parada e o São José nos contra-ataques, mas chance clara mesmo não aconteceu a favor de nenhuma das duas agremiações. A melhor oportunidade ficou reservada para o último lance do tempo inicial, quando a zagueira são-paulina Nagila tocou na bola com a mão dentro da área. A árbitra não teve dúvidas e marcou pênalti.

Gislaine cobrou bem e abriu o marcador para a Águia. O intervalo chegou com a vantagem para o onze visitante e eu resolvi ver o tempo final nas sociais no estádio. Lá, o presidente do SPFC Carlos Miguel Aidar, amigo pessoal de Mílton Haddad, curtia a peleja tranquilamente. Muitos aproveitaram para pedir de forma carinhosa a ele que não acabe com a equipe.





Lances do primeiro tempo da partida de ida da final do Paulista Feminino. Fotos: Fernando Martinez.


De pênalti Gislaine abriu o marcador a favor da Águia no último lance do tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo o panorama não mudou muito e o jogo continuou devagar, com poucas investidas reais no ataque. O tricolor tentou bastante, mas parecia que não teria sucesso na busca do seu gol. O empate quase saiu de forma bastante improvável, numa bola mal recuada pela zaga joseense e que tirou tinta do travessão.

É, mas para a felicidade da maior parte da torcida presente no Nacional, no último minuto o gol de empate finalmente aconteceu. Depois de uma imenso bate-rebate na entrada da área, a bola sobrou para Bia na esquerda. Ela chutou de primeira e colocou a pelota no canto de Andréa, deixando tudo igual.




Agora do alto, momentos do tempo final da decisão entre paulistanas e joseenses. Fotos: Fernando Martinez.



Lance do gol de empate do tricolor e a emocionada comemoração de Bia, autora do tento que deixou tudo igual na primeira peleja da final. Fotos: Fernando Martinez.

O placar final de São Paulo 1-1 São José deixa o título ainda totalmente em aberto, e a Águia precisa de uma nova igualdade para se tornar campeã paulista pela terceira vez. Pena que não estaremos lá, já que por conta da televisão a partida teve seu horário alterado do sábado para domingo de manhã. Todo mundo reclama da Globo, mas no fim absolutamente TODAS as emissoras só pensam nelas mesmas.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário