Procure no JP

quarta-feira, 27 de maio de 2015

JP no imperdível Portuguesa x Brasil pela Série C no Pacaembu

Opa,

A sessão noturna de futebol do sábado foi uma daquelas simplesmente imperdíveis, já que pela primeira vez em todos os tempos o Estádio Paulo Machado de Carvalho recebeu um jogo do Campeonato Brasileiro da Série C. Cortesia da Portuguesa, bi-rebaixada no nacional em 2013 e 2014, e que joga a terceirona pela primeira vez. O adversário foi o atual vice-campeão da Série D, o genial Brasil de Pelotas.

O atual momento da Lusa é absolutamente tétrico. Sem dúvida a equipe passa pelo pior momento de sua quase centenária história e o pessoal vê nessa nova competição a oportunidade da (difícil) redenção. Em seis meses, foram dois rebaixamentos e não será fácil o início de trabalho com essa terra completamente arrasada. Na peleja de estreia da C os rubro-verdes perderam para o Londrina atuando no interior paranaense.

O glorioso Xavante, sem nada a ver com o cenário lusitano, queria vencer mesmo jogando fora de casa. Aliás, em campeonatos nacionais é raro o time pelotense jogar na capital bandeirante. Até então os gaúchos haviam se apresentado por aqui em apenas três oportunidades, as três com derrota: Juventus 1x0 na Taça de Prata de 1980, Portuguesa 4x1 na Taça de Ouro de 1984 e Grêmio Barueri 5x2 na Série C de 2006. Além disso, essa foi a primeira vez que o Brasil atuou num jogo oficial no velho Pacaembu.

Um público muito bom foi ao estádio para conferir de perto a partida. Embora muitos achem que a presença de torcedores foi "decepcionante", eu penso justamente o contrário. Não entrando no fato do prejuízo que o time teve, esse jogo no Canindé não teria a presença de mais de 500 almas. Fora que o ambiente na numerada laranja estava sensacional. O quórum de amigos e conhecidos foi um dos maiores até hoje.


A Portuguesa de D - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


GE Brasil - Pelotas/RS. Foto: Fernando Martinez.


Capitães de Portuguesa e Brasil/RS junto com o quarteto de arbitragem da partida, composto por Bruno Arleu de Araujo (RJ), Andrea Izaura de Sá (RJ), Daniel Luís Marques (SP) e Alessandro Darcie (SP). Foto: Fernando Martinez.


Sensacional quórum reunido no Pacaembu para Portuguesa x Brasil/RS. Foto: Torcedor passeando na numerada.

Graças a alguns problemas nas bilheterias, muitos ainda entravam quando o jogo começou. E muitos perderam o início avassalador da Portuguesa e o gol de Guilherme, ex-Grêmio Novorizontino, logo aos três minutos. Depois de uma ótima tabela no meio de campo, o aniversariante do dia fez seu primeiro gol no clube.

E quem perdeu o bom momento inicial do time paulistano perdeu praticamente tudo de bom que o time construiu nos 90 minutos. Foi só a Portuguesa abrir o marcador que o Brasil tomou conta completamente da peleja. A zaga lusitana sofreu demais com o rápido setor ofensivo do Xavante.

Xaro, Diogo Oliveira, Alex Amado, Nena, esse com uma bola na trave aos 44 minutos, criaram chances perigosas a favor do Brasil no primeiro tempo. Por sorte, a Portuguesa saiu de campo rumo aos vestiários ainda com a vantagem parcial. No tempo final, nada mudou, e os gaúchos continuaram muito melhores.


Cobrança de falta para o time gaúcho. Foto: Fernando Martinez.


Atletas de Portuguesa e Brasil tentando alcançar a pelota. Foto: Fernando Martinez.


Marcação cerrada da zaga pelotense. Foto: Fernando Martinez.


Leandro Camilo ganhando do atacante Hugo pelo alto. Foto: Fernando Martinez.


Ataque rubro-verde pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.

Tamanha pressão finalmente deu resultado aos 15 minutos. Xaro recebeu passe pela lateral esquerda e chutou de muito longe. A bola entrou no ângulo de Rafael, que nada pode fazer. A Portuguesa só voltou a criar uma chance razoável aos 27 minutos numa boa cabeçada de Renan. Nada que assustasse demais a meta defendida por Eduardo Martini.

A torcida rubro-verde, que incentivou a equipe na maior parte do tempo, começou a perder a paciência nos minutos finais apupando especificamente alguns atletas. Algo bastante compreensível, mas é fato que todos vão precisar de muita paciência nesse momento de reconstrução do time. Não será fácil recolocar o onze do Canindé no local de onde nem deveria ter saído.


Falaram que teríamos cinco mil (!) torcedores do Brasil na peleja. Não chegou nem perto, mas a presença foi muito boa, como sempre. Foto: Fernando Martinez.


Bola alçada dentro da área local. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio a favor do time paulistano e o corte da zaga do Brasil. Foto: Fernando Martinez.


Um dos raros ataques perigosos da Portuguesa em todo o jogo aconteceu aqui. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma tentativa da Lusa chegar perto da área visitante. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o resultado ficou mesmo em Portuguesa 1-1 Brasil/RS. Com o empate, o Xavante ficou em terceiro lugar e a Lusa em sétimo. O bizarro nesse Grupo B é que apenas Tupi e Londrina venceram jogos. Os oito times restantes ainda estão zerados. Mais bizarro ainda é saber que o campeonato vai parar por três semanas em junho por conta da Copa América (!). Vocês não entendem o motivo? É, nem nós.

Depois do apito final ainda fiquei nas dependências do Pacaembu para acompanhar a coletiva do técnico Júnior Lopes antes de voltar para casa com aquele sentimento de dever cumprido. Finalizei minhas férias com mais um jogo do Barcelona paulistano no domingo de manhã.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário