Procure no JP

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Juventus vence a décima e é mais líder do que nunca na A3

Fala, pessoal!

A cada dia que passa a certeza fica maior: a tabela das divisões de acesso do estadual realmente foi muito mal feita. Enquanto na quarta-feira tivemos vários jogos na capital paulista e Grande São Paulo - seis, para ser mais exato - no final de semana apenas duas pelejas, ambas no mesmo dia e horário, aconteceram.

Por conta disso de novo a minha cobertura cobertura do JP ficou reduzida a apenas uma partida, mas uma peleja essencial para o intricado cronograma do Projeto 40. Fui até o Estádio Conde Rodolfo Crespi para o confronto de contrastes entre o líder Juventus e a ameaçadíssima Santacruzense, respectivamente as equipes de número 28 e 29 a entrarem para a lista.


CA Juventus - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


AE Santacruzense - Santa Cruz do Rio Pardo/SP. Foto: Fernando Martinez.

O CAJ conseguiu montar uma equipe arrumadinha para essa A3, equipe que tem como maior destaque, claro, a presença do atacante Gil, veterano ex-Corinthians e ex-Cruzeiro. Com isso o onze paulistano vem fazendo a sua melhor campanha num estadual nos últimos dez anos. Com o nível claudicante das outras agremiações, não há como negar que o Juventus é um grande favorito não só ao acesso, mas também ao título da A3.

Já a Esportiva não tem muito o que comemorar em 2015. Desde que conquistou os dois acessos seguidos de 2010 e 2011, a equipe só fez campanhas ruins, a pior delas o rebaixamento na A2 de 2013. Depois do 15º lugar no ano passado, nessa temporada parece que não há salvação para a Locomotiva. A queda é praticamente inevitável.

Após a grande vitória da rodada anterior contra a Francana, com direito a quatro gols de Gil, o público voltou a encher a Javari. O público total de 2.469 pagantes bateu o recorde do estádio em 2015. Tudo bem que hoje em dia o ambiente atual da casa grená parece mais um bloco de carnaval no Baixo Augusta, uma balada na Vila Madalena ou uma festa hipster na USP, mas como para o clube está sendo positivo, isso é o que realmente importa.

A massa descolada ávida por cannolis e camisas-retrô viu uma apresentação segura, sólida e sem percalços do time local. O Juventus não deu o menor espaço para a zebra e a Esportiva criou uma ou outra chance em contra-ataques espalhados pelos 90 minutos. Num deles, no segundo tempo, a bola bateu na trave, nada que assustasse muito o time grená.

Jogando na boa o Moleque Travesso abriu o placar aos 25 minutos do tempo inicial com o gol de Daniel Costa. O camisa 11 avançou pelo setor defensivo e tocou para Gil. Na tentativa do desarme, um dos zagueiros devolveu a bola para o jogador juventino, que chutou forte da entrada da área colocando a pelota no canto esquerdo do goleiro Braz.


Zaga da Santacruzense desarmando o ataque grená. Foto: Fernando Martinez.


Investida juventina pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.


Comemoração de Daniel Costa no primeiro gol do Juventus. Foto: Fernando Martinez.


Foi pênalti ou não foi? Nathan cai dentro da área da Esportiva. Foto: Fernando Martinez.

O tempo inicial terminou com a vantagem mínima para o CAJ. No segundo o panorama continuou o mesmo e o segundo gol aconteceu aos treze minutos direto dos pés do camisa 7 Nathan, que completou de forma precisa um cruzamento da direita.

Na meia hora seguinte o Juventus perdeu a chance de aplicar sua segunda goleada seguida no certame. Nesse período valeu o papo com o amigo de longa data Maurício "Nassau" - testemunha presencial de um certo "carrossel holandês" visto na região do Tatuapé nos idos de 1994 - animado pelo fato de que em julho será pai. Parabéns ao amigo!


Nathan aparecendo livre de marcação para fazer o segundo gol do CAJ. Foto: Fernando Martinez.


O Juventus, mesmo com a vantagem de 2x0 no marcador, não parou de atacar durante todo o tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Bom ataque pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Braz se estica todo para a afastar a pelota da sua área. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o placar de Juventus 2-0 Santacruzense deixou os paulistanos com 32 pontos, quatro acima da vice-líder Inter de Limeira com 28. Faltando quatro jogos para o final da primeira fase, a classificação é praticamente certa e somente uma catástrofe elimina o CAJ. Além disso tudo, esse triunfo foi o décimo na competição, o maior número num campeonato estadual desde 2005.

A Esportiva ocupa a penúltima colocação com míseros sete pontos, oito atrás do Rio Preto, 18º lugar. Com doze pontos em disputa, o rebaixamento já é uma realidade, faltando a confirmação matemática e também saber em qual rodada isso acontecerá. Triste notícia para a torcida do time de Santa Cruz do Rio Pardo.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário