Procure no JP

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Jogos Perdidos no "Jogo do Pecado" da sexta-feira santa

Opa,

Em todos os meus anos nessa indústria vital, nunca tinha tido a chance de acompanhar um jogo de futebol numa sexta-feira santa. Muito porquê, claro, nunca a FPF tinha marcado uma peleja para essa data no Século 21. Em 2015 tudo mudou e a entidade fez um favor para os amantes do ludopédio e marcou uma sessão noturna em pleno feriado. O Estádio José Liberatti foi o palco desse verdadeiro "jogo do pecado" entre Grêmio Osasco Audax e XV de Piracicaba.

Para essa que foi apenas a minha segunda partida no Campeonato Paulista 2015 - aliás, obrigado Portuguesa por não conseguir a liberação do Canindé em toda a competição - tive a companhia de um quórum alto de "pecadores" que abandonou procissões e a companhia da família para uma jornada na mais pura profanidade. Foram tantos que vale citar os principais nomes: Mílton, Cosme, Rodrigo Colucci, Pucci, Ricardo Espina, Sérgio, o sumido Renato Rocha, Bruno e mais um monte de abnegados.

A maior parte dessa rapaziada se encontrou na Estação Osasco da CPTM. Antes de seguimos caminho até o estádio começamos a jornada profana curtindo pipoca com bacon, uma iguaria ideal para a data. Dali fomos para o Rochdale divididos em três táxis e faltando mais de uma hora para o apito inicial já estávamos na porta da cancha osasquense.

Com todo mundo já dentro do estádio vimos que a noite não seria nada "perdida". Um público simplesmente sensacional também resolveu aproveitar o feriado e foi curtir a peleja. Quase cinco mil pessoas bateram fácil o recorde de público do GEO Audax na A1 2015 jogando na cidade. Confesso que não esperava um público nem próximo desse.


Times perfilados para o Hino Nacional Brasileiro. Foto: Fernando Martinez.

Falando da peleja em si, o Audax buscava os três pontos para ainda manter vivo o difícil sonho de uma vaga nas quartas-de-final. Para isso o time precisava vencer suas duas pelejas restantes e a Macaca perder as duas. Resumindo, uma situação bem complicada. O maior azar mesmo foi ter caído no Grupo B junto com Corinthians e Ponte Preta, dois times de Série A.

Já a luta no Nhô Quim nessa A1 era primeiro não cair por conta do início desastroso com quatro derrotas seguidas. Uma vitória nesse jogo combinada com outros resultados salvaria a equipe da queda e ainda deixaria a agremiação com grandes chances de classificação no Grupo D. Como se não bastasse, um triunfo quebraria a invencibilidade do GEO Audax dentro do José Liberatti.

Sem cerimônia o time alvinegro assustou a animada torcida local logo no primeiro minuto de partida, quando Zelão perdeu um gol feito após rebote do goleiro Felipe Alves, chamado pelo amigo Luiz carinhosamente de Pedro Escamoso. O GEO Audax assimilou o susto muito bem e passou a jogar melhor.

Os locais dominavam a peleja, mas aos 19 minutos o goleiro local quase ganha o prêmio de "vacilo do mês". Ele foi dar um chapéu num jogador do XV e emendou uma lambança de gente grande. Paulinho chutou na trave e um dos zagueiros salvou o tiro de Bruninho em cima da linha.

O restante do primeiro tempo foi disputado em alta qualidade, com as duas equipes alternando bons ataques. Ao fim dos primeiros 45 minutos o bom futebol não foi traduzido em gols e o placar ficou em 0x0. No segundo o cenário permaneceu o mesmo com GEO Audax e XV de Piracicaba jogando bem.


Zaga do XV cortando roubando a bola no campo defensivo. Foto: Fernando Martinez.


Boa saída do arqueiro piracicabano. Foto: Fernando Martinez.


Longe do seu domínio, o zagueiro do GEO Audax foi de mal a pior e cometeu a falta no atacante do XV. Foto: Fernando Martinez.

Aos sete aconteceu o lance que definiu a sorte da partida. O time da casa saiu errado para o ataque e Fabiano roubou a pelota. Ele tocou para Paulinho, que avançou pela esquerda do campo de ataque e tocou na saída de Felipe Alves, que nada pôde fazer.

Precisando vencer o GEO Audax passou a ter mais posse de bola e engatou vários ataques em sequência. A eficiência defensiva quinzista foi colocada em teste e não decepcionou. Os zagueiros do Nhô Quim conseguiram neutralizar sem problemas todas as investidas do time da casa.

Nos minutos finais até o arqueiro local foi tentar ajudar no ataque, mas não adiantou nada e a peleja terminou em Grêmio Osasco Audax 0-1 XV de Piracicaba. A derrota tirou de vez a chance de vaga na segunda fase e também finalizou o sonho da equipe de conquistar um lugar na Série D desse ano.


Marcação da zaga osasquense no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Bola levantada na área piracicabana. Foto: Fernando Martinez.


Todos os atletas locais, incluindo o goleiro Felipe Alves, buscando o empate no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Muitos torcedores do XV marcaram presença do José Liberatti e comemoraram muito a grande vitória. Foto: Fernando Martinez.

Para o XV a vitória teve um gosto absolutamente sensacional. Além de afastar por completo a chance de rebaixamento, o onze piracicabano ainda pode se classificar para as quartas-de-final dependendo dos resultados da quarta-feira. Vencendo o Corinthians, o time se classifica independente do resultado de Penapolense x São Bento. Se a equipe de Penápolis não vencer, o XV se classifica mesmo com derrota.

Ouvindo a sempre sensacional trilha sonora do Liberatti saímos do estádio num grupo de dez pessoas, certamente causando medo da população da região. Voltamos para a Estação Osasco para uma sessão gastronômica recheada de churrasquinho, hot-dog e sanduíche de calabresa. Se para muitos comer carne na sexta-feira santa é pecado, no nosso coração não existe pecado do lado de baixo do Equador.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário