Procure no JP

segunda-feira, 12 de janeiro de 2015

Guaicurus e Rio Branco do Acre ficam no empate pelo Grupo W

Opa,

A terceira e última rodada da primeira fase da 46ª Copa São Paulo de Futebol Júnior começou na sexta-feira, mas tirei o dia para um merecido descanso antes de fazer mais duas rodadas duplas, a primeira delas na sufocante noite de sábado em Barueri, cidade-sede do Grupo W.

O jogo preliminar na Arena Barueri era para mim o mais legal da jornada, afinal, não é sempre que temos a chance de ver um duelo entre uma equipe sul-mato-grossense e outra acreana por aqui, respectivamente Guaicurus e Rio Branco.

Essa é a terceira participação do time do Centro-Oeste na história da competição e a terceira em sequência. Se a equipe não faz campanhas tão marcantes no profissional, na base a coisa é bem diferente. O CEG vem tendo uma performance ótima e foi campeão sub18 em 2012, vice sub19 em 2013 e campeão sub19 no ano passado.


CE Guaicurus (sub20) - Campo Grande/MS. Foto: Fernando Martinez.

Nas duas vezes que disputou a Copinha o time da Cidade Morena foi eliminado na primeira fase, assim como o Rio Branco. O Estrelão, também classificado para a Copinha após vencer o estadual da sua categoria, já estava fora da disputa antes mesmo dessa peleja final.


Rio Branco FC (sub20) - Rio Branco/AC. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

O onze acreano foi derrotado por Corinthians e Grêmio Barueri nas suas duas primeiras apresentações e jogava um simples amistoso. O Guaicurus perdeu para o Mosqueteiro fazendo uma boa apresentação e ganhou do time da casa debaixo de um senhor dilúvio, logo, era o favorito para esse jogo da fase inicial.

Após várias caravanas em todas as rodadas, dessa vez fui sozinho para Barueri e permaneci dentro de campo todo o tempo. Na boa e curtindo o entardecer vi o Guaicurus dominar por completo as ações e o Rio Branco permanecendo quase o tempo todo no campo de defesa.


Dudu, camisa 9 do Guaicurus, tenta de cabeça. Foto: Fernando Martinez.


Zagueiro do Rio Branco protegendo a bola. Foto: Fernando Martinez.

A equipe conseguiu abrir o marcador aos 13 minutos através do camisa 18 Coruja. O segundo gol quase saiu em seguida, mas quem marcou foi o Rio Branco na primeira vez que se lançou ao campo ofensivo. Careca deixou tudo igual aos 23 minutos.


Bola sendo cruzada dentro da área acreana. Foto: Fernando Martinez.


Outro ataque do Guaicurus pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Buscando o segundo triunfo para continuar com a esperança (minúscula, mas de qualquer forma era uma esperança) de classificação, os sul-mato-grossenses não se incomodaram com o gol sofrido e continuaram com tudo querendo o segundo gol.


Falta para o time do Mato Grosso do Sul no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada perigosa dentro da área do Rio Branco. Foto: Fernando Martinez.

É, não faltou vontade e nem disposição, mas o toque final era muito falho. As boas jogadas do meio-campo terminavam nos pés do camisa 9 Dudu. O atleta recebeu vários passes açucarados que, para desespero do pessoal no banco de reservas, não terminaram em gol.


Disputa de bola na lateral. Foto: Fernando Martinez.


Dudu tentou, mas a luz no fim do túnel para o Guaicurus ficou apenas nas arquibancadas. Foto: Fernando Martinez.

Foi assim durante o restante do primeiro tempo e em todo o segundo. Se o comandante do ataque estivesse um pouquinho mais inspirado, a história poderia ter sido outra. No fim, o Guaicurus 1-1 Rio Branco/AC não teve muita influência na classificação final da chave, mas pelo menos serviu para deixar o time do Mato Grosso do Sul na segunda posição do Grupo W.

O jogo de fundo não era assim uma Brastemp. Independente disso, permaneci firme e forte na Arena para conferir de perto a atuação do atual campeão paulista e brasileiro da categoria.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário