Procure no JP

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

Em jogo de duas viradas, Furacão se classifica para a segunda fase

Opa,

Completando a marca de 16 jogos vistos na primeira fase da 46ª Copa São Paulo de Futebol Júnior, Flamengo e Atlético Paranaense foram a campo no Estádio Antônio Soares de Oliveira para encerrar os trabalhos do Grupo Y. O rubro-negro já estava eliminado e o Furacão ainda lutava por um lugar na segunda fase.

Depois do triunfo do Azulão na preliminar, a equipe curitibana precisava vencer por uma diferença de quatro gols para terminar a fase inicial como vencedora do grupo e também para se garantir sem esperar a definição das outras chaves. Uma vitória por uma margem menor deixaria o time com sete pontos esperando ver se entraria entre os 32 como um dos melhores segundos colocados.


AA Flamengo (sub20) - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


C Atlético Paranaense (sub20) - Curitiba/PR. Foto: Fernando Martinez.

É, amigo, a tendência indicava vitória atleticana, mas a peleja foi muito mais complicada para o onze visitante do que qualquer um poderia imaginar. O lance do Corvo era atrapalhar a vida do seu adversário. Com essa mentalidade, o time jogou bem, mostrando muita raça e disposição.

O Atlético começou um pouco melhor e foi levemente superior na primeira metade do primeiro tempo. Aos 23 minutos a equipe abriu o marcador com um pênalti cobrado por Bruno Mota. Nem deu tempo de comemorar, pois na saída de bola Estevão deixou tudo igual.


Primeiro gol do Atlético, marcado por Bruno Mota. Foto: Fernando Martinez.

O empate animou o rubro-negro e fez com que o Atlético passasse a tomar sufoco. A animação foi tanta que Estevão fez pela segunda vez e virou a partida a favor do Fla aos 29 minutos. Desse momento até o último momento da primeira etapa, o Furacão não se encontrou mais.


Ataque paranaense no tempo final. Foto: Fernando Martinez.


Início de ofensiva atleticana. Foto: Fernando Martinez.

Como não restava outra alternativa nos 45 minutos finais, o Atlético voltou a campo com outra pegada. Acompanhamos uma apresentação de ataque contra defesa na maior parte do tempo. O ânimo paranaense se renovou aos 10 minutos com o gol contra do zagueiro João Bruno após rebote do goleiro.


Mais uma grande chance de gol desperdiçada pelo Furacão. Foto: Fernando Martinez.

O número de ofensivas paranaenses aumentou ainda mais, mas o terceiro gol teimava em não sair. Era bola na trave, zagueiro salvando em cima da linha e chute descalibrado. A cada minuto que passava a esperança parecia se esvair a cada oportunidade desperdiçada. Para aumentar a tensão, os paulistas ainda levavam grande perigo nos contra-ataques.


O Corvo conseguiu armar bons contra-ataques no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

Faltando nove minutos para o apito final o Furacão finalmente conseguiu furar a retranca com o segundo gol do camisa 10 Bruno Mota. Ele completou um belo passe da direita - inclusive se machucou no lance - e todos os atletas e a comissão técnica da equipe do Sul puderam respirar aliviados.


Camisa 10 do Fla segurando a onda no campo defensivo. Foto: Fernando Martinez.

Nada mais mudou e no fim o marcador do belíssimo jogo ficou em Flamengo/SP 2-3 Atlético/PR. A vitória fez o Furacão terminar a primeira fase na vice-liderança da chave, atrás do São Caetano apenas no saldo de gols, e colocou o time na segunda fase como o segundo melhor segundo colocado.

Depois da maratona de dezesseis jogos em nove dias - com direito e oito times novos para a Lista - finalmente pude descansar um pouquinho e só voltei a campo para as coberturas da Copinha no JP no último dia de disputas da segunda fase. Vi meu primeiro (e único) jogo no Nicolau Alayon na competição em 2015.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário