Procure no JP

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Copa Sul-Americana no Morumbi em noite de time novo na Lista

Fala, pessoal!

É cada vez mais difícil chegar a essa época do ano e ter a chance "matar" uma equipe. Por sorte, a boa campanha do São Paulo na Copa Sul-Americana trouxe mais um time legal ao Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o 587º da minha Lista. Depois de ver os chilenos do Huachipato na fase anterior, dessa vez os paulistas enfrentaram o genial Emelec, time oriundo da Empresa Eléctrica del Ecuador.

Essa foi apenas a terceira vez que o time equatoriano jogou em São Paulo por uma competição da Conmebol. Nas duas anteriores os Elétricos enfrentaram os dois rivais do trio de ferro. O Palmeiras foi o adversário em 1995 e o Corinthians em 2012, essa durante a vitoriosa campanha na Libertadores.


Times perfilados no gramado do Morumbi. Foto: Fernando Martinez.

Outra coisa relativamente rara é um time desse país jogar por aqui nos últimos tempos (registrando que perdi o LDU de Loja contra o mesmo São Paulo em 2012). O último time equatoriano a entrar na minha Lista havia sido o Barcelona de Guaiaquil num jogo contra o Santos na Vila Belmiro, isso em março de 2004. Somando todas essas informações, minha presença no Morumbi era obrigatória.

A quinta-feira foi bastante complicada e mesmo com todos os fatores já citados por muito pouco não desisti da jornada. Graças a vários percalços, confirmei minha ida ao estádio somente às sete da noite, faltando pouco mais de uma hora para o apito inicial. Junto com o trio Renato, Mílton e Nílton, sofri bastante para chegar na casa são-paulina por conta do horário e da falta de táxis disponíveis na região do Metrô Butantã.

Apesar da correria tudo deu certo e estava devidamente instalado no meu lugar antes mesmo das equipes entrarem em campo. Assisti o tempo inicial na companhia dos Beatles e dos Rolling Stones e vi o São Paulo arrasar o Emelec nos primeiros 45 minutos. Sem sofrer sustos, os paulistas chegaram fácil aos 3x0 sem a menor resistência do adversário.


A zaga do Emelec tomou sufoco durante todo o primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.


Um raro ataque equatoriano no tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.

Michel Bastos abriu o placar aos 11, Hudson ampliou aos 34 e Alan Kardec marcou o tento mais bonito da noite aos 44. Estava fácil demais. No intervalo encontrei o amigo tricolor Ricardo Espina caçando ingressos no anel central do estádio. Ele também achava que a peleja estava definida.


Terceiro gol do São Paulo, de longe o mais bonito da noite. Foto: Fernando Martinez.

O que ninguém esperava era que o São Paulo deixaria seu futebol nos vestiários. Em pouquíssimo tempo a vitória certa se transformou num pesadelo. O Emelec marcou com Bolaños aos dois e Mena aos nove e complicou a vida dos locais. A sorte do São Paulo é que o onze equatoriano não é tudo isso, pois o empate não aconteceu por falhas de finalização.


Investida aérea do time paulista no tempo final. Foto: Fernando Martinez.

Num pequeno espasmo de bom futebol, os locais chegaram ao quarto gol numa cabeçada precisa de Antônio Carlos aos 24. O tento acordou a torcida e tirou a esperança de um eventual empate dos equatorianos.


Zaga são-paulina negando o ataque do Emelec. Foto: Fernando Martinez.

No fim, a partida acabou com o marcador mostrando o resultado de São Paulo 4-2 Emelec. Para o jogo de volta os equatorianos precisam vencer por três de diferença caso queiram chegar na semi-final ou por dois a partir de 5x3. O time da Fé pode perder por um gol que passará de fase. Vamos falar a real? Dificilmente o Tricolor perde essa vaga.

Com essa partida, finalizamos a primeira década de coberturas do JOGOS PERDIDOS. No sábado, 1º de novembro, chegaremos ao nosso décimo aniversário com a presença na grande final da Segundona Paulista em 2014. Nada melhor do que chegar a essa histórica marca com um jogo desses, certo?

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário