Procure no JP

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Nacional vira e vai para a quarta fase da Segundona

Fala, pessoal!

Domingo foi dia de decisão no Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Seis pelejas - duas foram realizadas sábado - definiram os últimos cinco classificados para a quarta e decisiva fase do certame. Nós, claro, fomos ao Estádio Nicolau Alayon para a "finalíssima" entre Nacional e União Mogi.

Depois de se complicar perdendo para o Mauaense em casa, a equipe conseguiu vencer de forma brilhante o Barretos jogando no interior e um triunfo simples contra o time de Mogi das Cruzes levaria a equipe paulistana para a quarta fase após quatro anos. O União precisava apenas de um empate.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


União FC - Mogi das Cruzes/SP. Foto: Fernando Martinez.

Levando em conta o retrospecto dos confrontos entre os dois, esse foi o 35º duelo válido pelo estadual. Desde o primeiro jogo, um 2x0 para o NAC em julho de 1982, tivemos 14 vitórias ferroviárias, 13 empates e apenas sete triunfos do time mogiano. Um detalhe que merece ser destacado é que o Nacional nunca foi derrotado como mandante.


Capitães dos times com o árbitro Cássio Luiz Zancopé e os assistentes Mauro André de Freitas e Rafael Tadeu Alves de Souza. Foto: Fernando Martinez.

Um bom público compareceu na Comendador Souza para a partida, que começou com o Naça mandando bem e tentando roubar a vantagem dos visitantes. Só que essa blitz durou exatamente três minutos, pois na quarta virada do relógio o União abriu o marcador.


Bola levantada na área do União Mogi. Foto: Fernando Martinez.

O árbitro marcou uma falta bastante contestada no meio de campo e na cobrança a bola foi lançada na área. A zaga falhou e a pelota sobrou livre para o camisa 4 Dú colocar no fundo do gol local. Se já era complicada a situação nacionalina antes do apito inicial, ela se tornou ainda mais dramática com o 0x1.


Atacante do Nacional zanzando pelo campo defensivo visitante. Foto: Fernando Martinez.


Jogada de ataque local na lateral esquerda. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo do Nacional foi sofrível e muito abaixo do esperado. A Serpente do Tietê fez seu papel e levou a peleja para o intervalo ainda na frente. Prestes a ser eliminado da Segundona, o time ferroviário precisava como nunca mudar sua postura para os 45 minutos restantes.


Léo, camisa 7 do Nacional, sobre para tentar a cabeçada. Foto: Fernando Martinez.


Mais uma chegada do Nacional, agora pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Mostrando uma garra que não era vista em casa desde antes da Copa do Mundo, o Naça começou o tempo final a milhão, com amplo domínio territorial e muito mais inspiração. O zagueiro Will deixou tudo igual com um gol de cabeça aos 5 minutos e fez ressurgir a esperança da torcida da casa.


Comemoração no gol de empate do Nacional. Foto: Fernando Martinez.

De tanto insistir, a virada aconteceu aos 17 minutos. Em grande jogada pela linha de fundo a bola foi cruzada da esquerda e Bruno Silva apareceu sem marcação na pequena área para completar. A festa pelo segundo gol foi enorme nas arquibancadas e a meia hora restante da partida foi emocionante para os dois lados.


Dú, camisa 4 do União, observa ataque local. Foto: Fernando Martinez.

Sem outra opção, o alvirrubro se lançou ao ataque mas foi incapaz de criar uma grande chance para empatar. O goleiro Felipe, substituto do incansável (e suspenso) Carlão, foi bem e neutralizou todas as investidas mogianas.

No contra-ataque o time local jogou fora a chance de marcar mais gols e deixar seus torcedores mais confortáveis. A tensão era quase palpável no Nicolau Alayon e ninguém conseguiu ficar tranquilo até o último trilar do apito do árbitro Cássio Luiz Zancopé.


Jogadores e torcida comemorando a virada do time ferroviário. Foto: Fernando Martinez.

No fim, o jogo terminou em Nacional 2-1 União Mogi. A heroica vitória colocou o onze paulistano pela primeira vez na quarta fase desde 2010, ano em que a equipe tinha a questionada parceria com o Corinthians. Daquela vez o acesso não aconteceu, e todos que simpatizam com o time da Barra Funda esperam que a história possa mudar. Fora da A3 desde 2009, o acesso é o maior sonho de todos por ali.

O Naça agora fará parte do Grupo 19 junto com Olímpia, Primavera e Grêmio Prudente, em mais uma edição do famigerado "Grupo da Morte". As quatro agremiações nada mais são do que as quatro que possuem melhor campanha na edição 2014 da Segundona e a briga pelas duas vagas na a3 2015 será feia. A outra chave terá Taboão da Serra, Portuguesa Santista, Atibaia e Barretos.

Não sei em quantos jogos estaremos, mas esperamos que tudo dê certo para trazermos aqui algumas coberturas da reta final do campeonato mais legal do estado de São Paulo.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário