Procure no JP

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

JP na Copa (parte 19): 120 minutos de sufoco na Arena Corinthians

Opa,

Depois de toda a loucura feita na primeira fase da Copa do Mundo, tive alguns dias de descanso antes de ir ao meu 12º e penúltimo jogo no Mundial. A tarde do dia 1º de julho marcou minha despedida da Arena Corinthians com um jogo genial entre Argentina e Suíça válido pelas oitavas-de-final.

Como a peleja foi em São Paulo, o pré-jogo não foi assim tããão diferente quanto os que vivi nas cinco sedes que visitei. Isso aconteceu também por conta da maciça presença de argentinos, muitos deles na febre do rato e dispostos a encherem o saco de qualquer um que não estivesse vestindo alguma camisa relacionada ao país. Já fui lá e achei Buenos Aires maravilhosa, mas o nível de chatice da maior parte dos hermanos estava alto.

A ida, como sempre, foi moleza por conta do Expresso da Copa na Estação Luz. Tive a companhia da Van e do amigo Luiz, algo natural em quase todas as partidas do Mundial, e também do gente boa Luciano Amaral, o grande Lucas Silva e Silva, como convidado especial.


Luiz, Luciano Amaral e Fernando com a Arena Corinthians de fundo. Foto: Van.


Agora sem o trio mais uma visão da fachada do estádio corintiano. Foto: Fernando Martinez.

Por se tratar da nossa despedida da Copa em São Paulo chegamos muito cedo no estádio. O tempo foi mais do que suficiente para perambular pelos vários stands dos patrocinadores da FIFA - algo que ainda não tínhamos feito - e para conferir o desfile de torcedores estrangeiros. Faltando cerca de meia hora para o apito inicial fomos pasa nossos lugares.

Dessa vez a dona FIFA sorteou nosso lugar como numa carta "sorte/revés" do Banco Imobliário. Tivemos sorte por estarmos mais uma vez muito perto do campo e revés pois nos colocaram como os únicos brasileiros em meio a um setor repleto de alucinados argentinos. Resumindo: vimos o jogo num aperto danado.


Visão geral do nosso lugar para Argentina x Suíça. Foto: Fernando Martinez.


Times perfilados para os respectivos hinos nacionais. Foto: Fernando Martinez.

Os portenhos estavam empolgadíssimos, muito por conta dos 100% de aproveitamento na primeira fase. Jogando contra a Suíça, classificada como segunda colocada no Grupo E, o favoritismo era amplo e irrestrito. Só que em campo o onze alvirrubro mostrou muita raça e segurou a Argentina por muito tempo.


Zagueiro suíço fazendo o corte dentro da área. Foto: Fernando Martinez.


Higuaín enfrentando a marcação europeia. Foto: Fernando Martinez.

Um dos pontos altos da peleja foi ver de perto o camisa 10 Leonel Messi. Gosto de futebol perdido e fora dos holofotes da grande mídia, mas não há como negar que ver o jogador eleito quatro vezes como melhor do mundo pela FIFA era uma meta nessa Copa.


Messi posando para as lentes do JP num fato que nunca mais irá acontecer. Foto: Fernando Martinez.


Disputa no meio-campo. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo foi equilibrado com as melhores chances acontecendo a favor dos suíços. Na melhor oportunidade, Sergio Romero fez belíssima defesa no chute de Xhaka. Já na etapa final, enquanto cozinhávamos debaixo do fortíssimo sol do não-inverno paulistano, a Argentina tomou conta da partida.


Início de ataque argentino novamente com Higuaín, um dos melhores em campo. Foto: Fernando Martinez.


Chegada da Argentina pela direita. Foto: Fernando Martinez.

Comandados pelo 10 do Barcelona, eleito posteriormente o melhor do jogo, os sul-americanos criaram várias chances, todas defendidas pelo bom goleiro Diego Benaglio. Ao final dos 90 minutos, o 0x0 foi inevitável e então a partida foi para a prorrogação, a quinta em sete partidas (no jogo seguinte, Bélgica x EUA, rolaria a sexta, um recorde).


Lance no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

A meia hora do tempo extra foi emocionante e toda a favor da Argentina. O time não queria levar a peleja para os pênaltis e infernizou a zaga europeia, que soube se defender de forma brilhante por 28 minutos. Aos 13 do segundo tempo, se aproveitando de erro no ataque suíço, Messi roubou a bola e a conduziu no tempo certo até soltar para Di Maria. Ele entrou na área e chutou cruzado para abrir o marcador.


Di Maria e Messi, dois craques abrilhantando o jogo na Arena Corinthians. Foto: Fernando Martinez.


Mascherano se preparando para dominar a pelota. Foto: Fernando Martinez.

Os torcedores foram ao delírio com o gol, mas a emoção estava longe de acabar. Nos dois minutos finais a Suíça teve uma chance de ouro para empatar. Dzemaili aproveitou um cruzamento da direita e cabeceou a bola na trave... Uma pena. A seleção europeia ainda teve uma falta perigosa a favor no último minuto, mas o empate não aconteceu.


A Suíça teve a chance para empatar no último lance do jogo, mas a bola bateu na barreira. Foto: Fernando Martinez.

Ao final de 120 minutos o placar eletrônico da Arena Corinthians marcava Argentina 1-0 Suíça numa vitória sofrida e na base da raça. Nas quartas os sul-americanos despacharam a Bélgica em Brasília, venceram a Holanda na semi de São Paulo nos penais e perderam a final para a Alemanha.


Última visão que tive da Arena Corinthians durante a Copa do Mundo. Hoje o estádio já está bem diferente e absurdamente mutilado. Foto: Fernando Martinez.

Com minha missão na capital paulista encerrada, só fomos embora do estádio às seis da tarde, pois quisemos aproveitar cada segundo da nossa despedida na capital bandeirante. Ainda ficamos zanzando na região antes de pegarmos nosso caminho para casa. A Copa do Mundo continuou na televisão com as quartas e semi-final, e minha última partida foi no último final de semana do certame.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário