Procure no JP

segunda-feira, 31 de março de 2014

São Caetano vence o MAC e respira na luta contra o rebaixamento

Fala pessoal!

A sessão noturna do último sábado marcou minha segunda partida na "Trilogia ABC" no fim de semana. Depois de ver jogo em Santo André, fui até São Caetano do Sul acompanhar o jogo de contrastes entre São Caetano e Marília, um lutando para não cair e o outro lutando pelo acesso.

Ja falei aqui sobre a vexatória campanha do Azulão no Campeonato Paulista da Série A2 e essa talvez seja a maior decepção do torneio. Seriamente ameaçado pelo rebaixamento, o time venceu apenas um dos últimos 10 compromissos e jogando no Estádio Anacleto Campanella tem um pífio aproveitamento de 41% (três vitórias, um empate e quatro derrotas).


AD São Caetano - São Caetano do Sul/SP. Foto: Fernando Martinez.

Para deixar esse jogo ainda mais dramático para a equipe da Grande São Paulo, o Marília vinha de um sonoro 6x0 contra o São José (time que empatou por 0x0 com o Azulão) e uma ótima campanha com até então 30 pontos conquistados e brigando cabeça-a-cabeça com Mirassol, Santo André e São Bento por uma vaguinha na A1 de 2015.


Marília AC - Marília/SP. Foto: Fernando Martinez.

Só que dentro de campo o que se viu foi uma verdadeira inversão de papéis. Parecia que era o São Caetano o time a lutar pelo acesso. Os donos da casa foram muito, mas muito melhores do que o MAC, que mostrou um futebol tímido e de pouca qualidade.


Briga pela bola na linha de fundo. Foto: Fernando Martinez.

O goleiro do Marília Rodrigo Calchi, ex-Jabaquara e figurinha carimbada em vários posts do Leão da Caneleira no JP - trabalhou bastante, mas aquele probleminha ofensivo crônico do Azulão voltou a aparecer. Como de praxe, os jogadores da casa pecaram demais no toque final, deixando o jogo chegar no intervalo no 0x0.


Início de ataque pela direita. Foto: Fernando Martinez.


Grande chance de gol para o Azulão durante o tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo a pressão local ficou ainda maior, mas o gol teimava em não sair. Aos 25 minutos, a maior chance da peleja aconteceu quando o árbitro marcou penalidade máxima para o Azulão. Mostrando que não seria fácil o marcador sair do zero, Rodrigo Thiersen chutou nas mãos do goleiro do MAC.


Rodrigo Thiersen arrumando a bola na marca da cal, pouco antes de desperdiçar a penalidade máxima. Foto: Fernando Martinez.

Mesmo com esse baque o São Caetano continou todo dentro do campo do Marília. Rodrigo Calchi continuava fazendo boas defesas até que finalmente o time da casa conseguiu espantar a sombra de mais um resultado ruim aos 39 minutos. Depois de cruzamento na área, o camisa 3 Cleiton subiu sozinho e cabeceou firme para o fundo do gol. A zaga do MAC parou pedindo impedimento que não aconteceu.


Bola levantada na área do Azulão. Foto: Fernando Martinez.


Exato momento da cabeçada de Cleiton que originou o primeiro gol do São Caetano. Foto: Fernando Martinez.

Para afastar de vez qualquer ameaça de zebra, três minutos depois saiu o segundo gol. Leandro Oliveira avançou pela direita e cruzou para a área. Marcelo Soares se antecipou ao zagueiro e se esticou todo para tocar pro fundo das redes. Nas arquibancadas, muita festa numa mistura de alegria e profundo alívio.

O resultado final de São Caetano 2-0 Marília não livrou o onze da Grande São Paulo da ameaça de rebaixamento, mas pelo menos deu o alento para os jogos finais. O MAC deu uma vacilada monstro, mas ainda tem plenas condições de voltar para a A1 depois de cinco anos. Após o jogo rolou mais uma edição do tradicionalíssimo Dia do Gordo, festa que a cada dia que passa ganha mais adeptos. Dessa vez, além da presença do Paulo "Shrek", contamos também com a brilhante participação de Mílton Haddad e de Cosme, o Rei dos Brechós.

O fechamento da "Trilogia ABC" aconteceu domingo cedo num sensacional jogo em campo neutro no Primeiro de Maio. Nao dava pra perder a única Chance de ver um dos times que foram promovidos da Segundona Paulista para a A3 nesse ano.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário