Procure no JP

sexta-feira, 7 de março de 2014

No sufoco, Água Santa vira o placar contra o Noroeste

Opa,

O Carnaval 2014 não foi muito diferente dos demais, exceto por um pequeno detalhe. Pela primeira vez em todos os tempos tivemos a oportunidade de curtir um futebolzinho em pleno feriado da terça-feira, algo inédito no estado. Para sorte das almas que não gostam de folia, Água Santa e Noroeste jogaram no Estádio Conde Rodolfo Crespi.

Essa partida era para ter aberto o Campeonato Paulista da Série A3 no dia primeiro de fevereiro, mas de última hora o MP suspendeu a peleja. A FPF poderia ter marcado o jogo para a quarta de cinzas, data em que já vimos vários jogos, mas para nossa surpresa remarcou para a terça de Carnaval. Uma atitude aprovada pelo JP.

Entre blocos carnavalescos e com uma pré-sinusite que já me atormentava bastante, fui para a Rua Javari e logo na entrada notei que aquela seria uma tarde, digamos, "inesquecível". Um público sensacional - mais de 1600 pagantes - foi ao estádio paulistano mesmo no feriado.


EC Água Santa - Diadema/SP. Foto: Fernando Martinez.

Falando do jogo em si, o duelo foi de um contraste absoluto: há apenas três anos atrás, um confronto entre dois times era absolutamente inimaginável, já que o Norusca jogava a A1 e o Água era uma equipe amadora. Hoje, o time de Diadema era o óbvio favorito contra o moribundo time de Bauru.


EC Noroeste - Bauru/SP. Foto: Fernando Martinez.

Até esse jogo contra o Netuno, o Norusca somava oito jogos sem vitória na disputa da A3. Triste ver uma das camisas mais fortes do estado nesse estado de completa penúria e prestes a ser rebaixada para a última divisão estadual. Esse é mais um indício claro que aquele forte futebol do interior não existe mais. Equipes tradicionais estão tendo uma morte lenta e dolorosa e poucos se deram conta disso.


Capitães dos times junto ao árbitro Márcio André Moreira e os assistentes Cosme Tavares dos Santos e Maurício Antunes Imazu. Foto: Fernando Martinez.

Apesar da campanha ruim, o Noroeste começou bem a peleja e logo no segundo minuto abriu o marcador com Jairo. Ele acertou um belo chute de fora da área, colocando a pelota no canto direito do goleiro. Nem bem o gol saiu e a chuva começou a cair forte na Javari. Sem querer dar sopa pro azar, logo subi para a parte coberta do estádio.


Detalhe da bola no fundo das redes do Água Santa no primeiro gol do Noroeste. Foto: Fernando Martinez.


Boa saída do goleiro noroestino. Foto: Fernando Martinez.

A chuva se transformou rapidamente num dilúvio e com ele, vários raios passaram a cair nas redondezas. Um deles caiu num transformador na Rua dos Trilhos e a assustadora explosão do objeto fez com que o árbitro suspendesse a partida por três minutos. Na volta, o Água passou a buscar o empate com mais afinco.


Atacante do Água Santa preparando o chutaço. Foto: Fernando Martinez.

A insistência deu resultado aos 23 minutos com o gol de cabeça de Diego. A partir daí, o dilúvio se transformou numa tempestade avassaladora. A prática do futebol ficou impossível. Pior, a tempestade passou a molhar TODO MUNDO que estava na parte coberta, e é lógico que eu não tive como escapar. O tempo inicial terminou molhado e com o 1x1 estampado no marcador.


Confusão na área do time de Bauru já com a forte chuva caindo na Javari. Foto: Fernando Martinez.


Chance do Noroeste ainda debaixo do dilúvio. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo São Pedro deu uma breve trégua e o tempo final começou sem chuva. Nesse segundo tempo o Água Santa foi melhor, mas o Noroeste abusou do direito de perder gols em contra-ataques. O jogo estava aberto e qualquer um dos times poderia fazer o segundo.


Ataque diademense pelo alto. Foto: Fernando Martinez.

A partir do trigésimo minuto a pressão do time da Grande São Paulo passou a ficar maior. O alvirrubro conseguia heroicamente segurar o empate, que se não resolveria a complicada situação do time na A3, pelo menos poderia significar o início de melhores dias.


Início de ataque do Água Santa. Foto: Fernando Martinez.

O Noroeste conseguiu segurar o ímpeto local até os acréscimos. Porém, no 46º minuto, aconteceu uma grande confusão dentro da área bauruense. O predestinado camisa 18 Binho apareceu para tocar meio sem querer e colocar a pelota mansamente dentro do gol visitante. Festa digna de Copa do Mundo entre os torcedores diademenses.


Boa saída do goleiro do Norusca. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Água Santa 2-1 Noroeste. Com o triunfo o Netuno se afastou da zona de rebaixamento, enquanto a Locomotiva se afunda na lanterna do certame e é candidatíssima a fazer companhia a Taquaritinga, XV de Jaú, Bandeirante de Birigüi, entre outros, na Segundona 2015. Uma pena.

Saindo da Javari, fui logo para casa já me sentindo mal novamente. A noite da terça foi terrível e passei os dias seguintes de molho em virtude da sinusite. Perdi a rodada futebolística da quarta-feira de cinzas e também da quinta. Jogo mesmo somente no sábado seguinte.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário