Procure no JP

quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Em jogo épico, Audax elimina o GEO e está na final da Copa Paulista

Fala, pessoal!

Fazia tempo que não acompanhava uma partida com tanta emoção e drama como o Audax x Grêmio Osasco que vi no Estádio Nicolau Alayon no domingo cedo. A definição do segundo finalista do certame, o primeiro foi o São Bernardo FC - foi uma daquelas famosas pelejas que levam um atleta do céu ao inferno em apenas um lance.

Depois de fazer uma péssima apresentação e perder o jogo de ida pela contagem mínima, o time paulistano precisava fazer 2x0 caso quisesse ir pra final de forma direita. Um triunfo por um gol de diferença levaria a partida para as decisões de pênaltis. Para essa decisão, pouco mais de 600 pessoas foram ao Nacional.

Audax EC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Grêmio E Osasco - Osasco/SP. Foto: Fernando Martinez.

No Parágrafo Ibrahim Sued do JP, vale registrar que esse duelo teve um belo quórum de amigos e conhecidos. Algo óbvio, pois todo mundo que acompanha jogo durante o ano não quer ficar de fora das retas finais dos certames. Nas preciosas (e raras) sombras da Comendador Souza, tive a companhia do Mílton, do pessoal da caixinha de conversa mais animada do Facebook Luiz, Ricardo Espina e Cosme e também do Colucci.


Capitães dos times com o árbitro Vinicius Gonçalves Araujo e os assistentes Danilo Ricardo Manis e Marco Antonio Motta Junior. Foto: Fernando Martinez.

Muito diferente do que rolou na peleja de ida na Rua Javari, o Audax foi muito, mas muuuuuito superior ao Grêmio Osasco. O técnico Fernando Diniz armou seu time de forma bem ofensiva e não deu nenhum espaço ao GEO. A pressão foi tão grande que não sei dizer de forma precisa quantos foram os ataques perigosos do time da casa.


Zaga osasquense afastando o perigo da melhor maneira possível. Foto: Fernando Martinez.


Ataque do Audax pela esquerda. Foto: Fernando Martinez.

Para lamentação da torcida da casa, a cada ataque perigoso do Audax brilhava cada vez mais a estrela do goleiro Yamada. O jogador de 34 anos revelado no Corinthians fez uma atuação simplesmente antológica e impediu vários gols do onze amarelo, principalmente no tempo inicial.


Artilharia aérea do time local. Foto: Fernando Martinez.

O escrete paulistano não conseguia encontrar uma forma de passar pela muralha visitante. Sem querer, conseguiu isso aos 12 do segundo tempo. Após bola mal rebatida pela zaga do Grêmio, o camisa 16 Marcus Vinícius chutou mascado e enganou o arqueiro. Diego, livre na pequena área, completou para o fundo das redes.


Início de ofensiva local no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.


Jogador do Audax roubando a bola de atleta do GEO. Foto: Fernando Martinez.

No lance seguinte, o maior milagre da manhã. Francis, o capitão do Audax, apareceu entre os zagueiros e cabeceou à queima-roupa. Mesmo caindo para o canto direito, Yamada conseguiu evitar o segundo gol local com um reflexo impressionante. Defesa digna de entrar nas coletâneas de melhores defesas de 2013.


Saída segura de Felipe Alves em ataque visitante. Foto: Fernando Martinez.

Dali até o fim, o arqueiro osasquense continuou segurando a onda e o jogo terminou com a vantagem mínima para os amarelos. Com isso, a vaga na grande decisão seria decidida na cobrança de pênaltis. E o que se viu nos minutos seguintes foi emoção pura, fechando a manhã de forma épica.

Velicka e Geninho converteram as primeiras cobranças do Audax e do Grêmio, mas o time de São Paulo perdeu as duas seguintes com Marcos Vinícius e Marquinhos (com defesas de Yamada), enquanto o GEO fez com André Bilinha e Guilherme. Com 3x1 a favor e mais duas cobranças para cada equipe, a vaga do time da Grande São Paulo estava praticamente garantida. Somente um milagre salvaria o time paulistano.


Velicka abriu bem a série de cobranças para o Audax. Foto: Fernando Martinez.


Defesa de Felipe Alves na cobrança de Élton. Foto: Fernando Martinez.

E não é que esse milagre aconteceu? Francis e Cléber marcaram, enquanto Élton e Marcelo Godri tiveram seus chutes defendidos pelo arqueiro local Felipe Alves. Com o até então improvável 3x3, a disputa foi para as cobranças alternadas. Pelo lado local, João Paulo, Danilo, Wellington e Diego marcaram. Já pelo lado visitante Adílson, Ingro, Ítalo e Bruno Leandro fizeram.



Marcelo Godri teve a chance de colocar o GEO na final na quinta cobrança. Mas Felipe Alves defendeu e estragou a festa. Fotos: Fernando Martinez.

A décima cobrança ficou para os respectivos arqueiros. Felipe Alves chutou com categoria e fez 8x7. Chegou então a vez do heroi da manhã bater seu pênalti. As mãos de Fernando Yamada foram responsáveis por vários milagres, mas com os pés, ele perdeu a chance de continuar com o sonho do GEO chegar à final. Ele bateu muito mal e chutou a bola pra fora, colocando a fênix paulista na final do certame. Independente da desclassificação, Yamada merece todos os aplausos.


Felipe Alves bateu e fez o oitavo gol do Audax. Foto: Fernando Martinez.


Festa de um lado, tristeza de outro. No penal decisivo Yamada, heroi da manhã, chutou pra fora e colocou o Audax na final. Foto: Fernando Martinez.

O placar final de Audax 1 (8) - 0 (7) Grêmio Osasco marca a segunda final consecutiva do time paulistano. É também a quarta vez que o técnico Fernando Diniz chega na final desse campeonato. O ex-jogador do Juventus foi campeão em 2009 e 2010 e vice em 2012. Já o Tigre do ABC chega pela primeira vez na decisão.

Até a próxima!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário