Procure no JP

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Vitória paulistana no duelo grená da Copa Paulista

Opa,

Depois de ficar mais de dois meses sem ver um jogo do Juventus, finalmente voltei ao Estádio Conde Rodolfo Crespi para o "clássico grená" entre o Moleque Travesso e a Ferroviária de Araraquara. O duelo, válido pelo Grupo 7 da Copa Paulista, teve aquele cheirinho de nostalgia no ar.


CA Juventus - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.

De 1958 até 1996, os dois times se enfrentaram quase 60 vezes em jogos do Campeonato Paulista. Desde que a Ferrinha caiu (e nunca mais jogou na elite) os confrontos ficaram esparsos, se concentrando apenas em pelejas da Copa Paulista e afins e poucos compromissos na A2 e A3. Mas é inegável a força histórica do combate entre os dois grenás mais famosos do estado.


Ferroviária F S/A - Araraquara/SP. Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Antônio de Oliveira Junior, os assistentes Paulo de Souza Amaral e Eduardo Augusto Borges e os capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Na estreia dessa fase, o Juventus jogou bem mas perdeu para o Rio Preto. Logo, uma vitória em casa era obrigatória em busca de uma vaga nas quartas do torneio. A Ferrinha havia vencido o Ituano na Fonte Luminosa e um empatezinho já seria bastante comemorado. Essa chave seguramente é a mais complicada dessa fase.


Ataque local pela direita no começo de jogo. Foto: Fernando Martinez.

Apesar da expectativa, o primeiro tempo foi fraquíssimo e muito abaixo da média. A peleja ficou concentrada apenas do meio-campo e excepcionalmente os 45 minutos parece que viraram 240, tamanho o marasmo na fira tarde. Não rolou nenhuma chance clara de gol e com a inspiração longe de Javari, o tempo inicial terminou no óbvio "ocho".


Escanteio para o Moleque Travesso e muvuca da área da Ferroviária. Foto: Fernando Martinez.


Atacante local encarando zagueiro araraquarense. Foto: Fernando Martinez.

No tempo final as alterações do técnico Celinho deram resultado e a entrada do camisa 18 Bruno Santiago foi determinante para a boa atuação do setor ofensivo do escrete paulistano. O jogador de 19 anos infernizou a zaga da Ferroviária e obrigou o arqueiro visitante a trabalhar com fortes chutes de longe, algo que não havia rolado no primeiro tempo.


Rara chance de gol do time visitante no tempo inicial. Foto: Fernando Martinez.


No segundo tempo, o Juventus melhorou bastante e infernizou a zaga da Locomotiva. Foto: Fernando Martinez.

Só que o gol teimava em não sair e aquela chata sensação de "0x0" ficava cada vez mais forte. Para a felicidade da maior parte dos 371 pagantes, o time da casa finalmente marcou seu gol aos 35 minutos. Após grande jogada pela esquerda, a bola foi alçada na área. O camisa 9 Renato subiu livre e, meio sem querer, tocou de cabeça para o fundo das redes.


Rafael Branco atacando pela lateral. Foto: Fernando Martinez.


Detalhe do gol da vitória do Juventus, marcado de cabeça pelo camisa 9 Renato. Foto: Fernando Martinez.

Sem forças para reagir, a Locomotiva viu a peleja terminar com a primeira derrota nessa fase. No fim, o placar de Juventus 1-0 Ferroviária embolou a chave com os quatro times somando três pontos ao final de duas rodadas. O time de Itu venceu o Rio Preto por 2x1 na outra peleja do grupo.

Nem deu tempo de embaçar muito, já que tive que sair correndo da Javari para acompanhar a primeira apresentação do Água Santa "em casa" na quarta fase da Segundona Paulista. Nem o frio, nem a chuva e nem o sono foram adversários suficientemente fortes para me tirar do jogo no Baetão.

Até lá!

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário