Procure no JP

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Terceiro sorteio JP com a camisa da Inter de Limeira

Opa,

Depois de algum tempo de ausência, hoje divulgamos o terceiro sorteio de camisas oficiais aqui no JP, sempre contando com a nossa parceria com a Deka Sports, que veste muitas equipes do interior paulista e do Brasil. A camisa que pode ser sua é da gloriosa Associação Atlética Internacional de Limeira, que disputa atualmente a Série A3 do Campeonato Paulista.


Frente e verso da camisa da Internacional de Limeira utilizada em 2010, no terceiro sorteio JP. Fotos: Fernando Martinez.

E podemos garantir que é um exemplar raro, pois foi o manto que o time utilizou em 2010, na bela campanha que fez na segundona paulista. Para concorrer a essa camisa, basta enviar um e-mail para jogosperdidos@yahoo.com.br, já que dessa vez não precisa inventar nenhuma frase ou responder alguma pergunta. Entrarão no sorteio e-mails recebidos até a meia-noite da próxima terça-feira, 6 de dezembro.


Mais dois detalhes da camisa oficial que pode ser sua. Fotos: Fernando Martinez.

Aguardamos e-mails de todos fãs do JP e do futebol do interior paulista!

Abraços

Fernando

terça-feira, 29 de novembro de 2011

São Caetano festeja a permanência na Série B em 2012

Fala, pessoal!

No sábado passado rolou a última rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2011, e aproveitei a deixa para acompanhar uma das partidas que eram importantes para a definição do rebaixamento. São Caetano e Criciúma duelaram no Estádio Anacleto Campanella, com o Azulão precisando vencer para fugir da Série C em 2012.

Duque de Caxias, Salgueiro e Vila Nova já estavam rebaixados antes da rodada final, e Icasa, ASA, São Caetano, Paraná e Guarani "disputavam" a última vaga. A situação mais complicada era do Icasa, que precisava vencer a campeã Portuguesa e torcer contra as outras equipes. Caso a Lusa triunfasse no Ceará, o Azulão estaria garantido na Série B no ano que vem, independente do resultado do jogo no ABC.

Para essa partida, tive a companhia do Rodrigo Colucci, do Sérgio e do Nílton, fazendo a famosa "travessia" entre pontos distantes da Grande São Paulo. Acabamos pegando um táxi da estação de trem da cidade e sem demora entramos no estádio bem antes do apito inicial. Tempo suficiente para ver as duas equipes posando juntas para a foto oficial, em nome de uma campanha contra o racismo no futebol.


Times posados juntos numa campanha contra o racismo no futebol. Foto: Fernando Martinez.

Mas quando a bola rolou, ninguém teve muitos motivos para se animar, já que o jogo não foi assim uma Brastemp. O São Caetano partiu pra cima da defesa catarinense buscando definir logo a sua situação, sem depender de outros resultados. Só que os atacantes não estavam com o pé calibrado, e o gol ficou longe de acontecer.


Cruzamento dentro da área do Criciúma no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

Emoção mesmo vinha somente do sistema de som do estádio a cada gol que acontecia nas outras partidas da rodada. Por um breve momento, o Boa estava garantindo sua improvável vaga na Série A do ano que vem. No final do primeiro tempo, veio então a notícia mais esperada, anunciando o primeiro gol da Portuguesa contra o Icasa. A torcida, presente em bom número no Anacleto, fez a festa.


Disputa de bola no ataque local. Foto: Fernando Martinez.


Escanteio para o São Caetano. Foto: Fernando Martinez.

Para o segundo tempo o panorama não foi alterado, e aproveitamos então para tentar definir quais são os melhores episódios do Chaves. Chegamos a algumas conclusões por unanimidade, com várias citações de momentos antológicos da dramaturgia mundial. Enquanto rolava esse "quiz" sobre o seriado mexicano, o Azulão abriu o marcador. Isso aconteceu aos 23 minutos, com um gol de cabeça de Souza.


Bola no meio de campo. Foto: Fernando Martinez.


Lance disputado entre as duas equipes, e ao fundo a camisa do Azulão na arquibancada. Foto: Fernando Martinez.

Dali até o apito final a festa foi grande dos torcedores locais, todos respirando aliviados pela permanência na Série B em 2012. O placar final foi de São Caetano 1-0 Criciúma. Essa magra vitória deixou o time do ABC na 15ª posição do certame com 51 pontos, a mesma pontuação do tricolor catarinense, que ficou em 14º. O Icasa acabou rebaixado. No ano que vem, CRB, Joinville, América/RN e Ipatinga estarão no segundo nível nacional.


Não tinha como deixar de fazer essa foto, já que ver um cara vestido de Chacrinha num jogo do São Caetano é motivo obrigatório de registro. Foto: Um simpático transeunte.

Até a próxima!

Fernando

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Palmeiras Campeão Paulista Sub 17 2011

Olá,

No último sábado, foi decidida mais uma competição promovida e organizada pela FPF, sendo que o JOGOS PERDIDOS se fez presente mais uma vez, conferindo a segunda partida da final do Campeonato Paulista de Futebol Sub 17. O jogo foi realizado na vizinha cidade de Caieiras, mais precisamente no Estádio Municipal Carlos Ferracini e reuniu as equipes da S.E. Palmeiras e o Santos F.C.

Na semana passada havia sido realizada a partida de ida, na cidade de Santos, com o Palmeiras conseguindo a vitória por 2 x 1 e, por ter realizado melhor campanha ao longo da competição, jogava por dois resultados iguais, ou seja, levantaria a taça até mesmo com uma derrota por um gol. Ao Santos só restava vencer por uma diferença mínima de dois gols.

Sem mais demora, vamos com as fotos oficiais da partida, sempre uma cortesia do JP aos amigos internautas que nos acompanham, as quais estão apresentadas abaixo:


S.E. Palmeiras (Sub 17) - São Paulo/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Santos F.C. (Sub 17) - Santos/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem composto por Douglas Perrone Katayama, seus assistentes Newton dos Reis Barreira e Leandro Matos Feitosa, além do quarto árbitro Leônidas Sanches Ferreira, ao lado dos dois capitães. Foto: Orlando Lacanna.


Troféus de Campeão e Vice-Campeão que seriam entregues ao final da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Antes de começar a falar da partida, vale ressaltar que esse jogo foi o último da carreira do árbitro assistente Newton dos Reis Barreira, por ter atingido a idade limite (45 anos) para continuar atuando, tendo trabalhado durante 16 anos. Além disso, apareceu dezenas de vezes nas páginas virtuais do JP. Nossos cumprimentos ao Newton pela marca atingida.


Uma singela homenagem do JP ao árbitro assistente Newton dos Reis Barreira, que se despediu da arbitragem. Foto: Orlando Lacanna.

Agora falando da partida, a expectativa era que o Santos saísse com tudo ao ataque, pois necessitava vencer por pelo menos dois gols de diferença e, não deu outra, sendo que nos minutos iniciais, o time santista forçou as jogadas ofensivas, exigindo muita atenção do setor defensivo alviverde.


Zaga palmeirense cercando atacante santista no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.

Depois dos 5 minutos iniciais, o Palmeiras passou a explorar o lado esquerdo do seu ataque, aproveitando a velocidade do seu camisa 6 Lima e, numa dessas descidas, chegou ao seu gol, anotado aos 8 minutos, justamente por Lima, numa penetração rápida e que culminou num arremate cruzado, com a bola entrando no canto esquerdo da meta santista. Três minutos após, o Palmeiras quase chegou ao seu segundo gol, num outro ataque muito rápido, agora através da penetração do camisa 9 Lucas Taylor, mas a conclusão não foi das melhores e a chance foi embora.


Avançada perigosa de Lucas Taylor que quase resultou no 2º gol alviverde. Foto: Orlando Lacanna.

O ritmo da partida era muito bom, com os dois times demonstrando muita disposição e vocação para atacar. Entre os 15 e 35 minutos, surgiram chances para os dois times, valendo destacar dois bons momentos da meninada santista, que ocorreram aos 15 e 29 minutos, em jogadas com as participações de Vitor Hugo e Bruno. Por outro lado, o time paulistano também teve dois bons momentos, aos 25 e 33 minutos, porém as finalizações de Gabriel (de cabeça) e Bruno Sabiá, não tiveram o endereço certo.


Atletas dos dois times atentos à chegada da bola para mais um ataque. Foto: Orlando Lacanna.

A melhor oportunidade para mexer no placar, aconteceu aos 37 minutos e foi a favor do Santos, quando o árbitro, corretamente, marcou uma penalidade máxima, que foi cobrada por Vitor Hugo, porém o goleiro Vinicius pulou como um gato no canto direito e praticou uma defesa espetacular.


Vinicius praticando defesa sensacional desviando cobrança de pênalti executada por Vitor Hugo. Foto: Orlando Lacanna.

Os últimos minutos continuaram intensamente disputados, mas ninguém chegou às redes e, dessa forma, os primeiros 40 minutos (esse é o tempo regulamentar para a competição), chegaram ao fim, com a vantagem mínima a favor do time verde, que já estava com uma das mãos na taça dourada. Ficava a expectativa para o segundo tempo se o time peixeiro teria forças para tirar a diferença.

Depois do intervalo, a bola voltou a rolar e o panorama da partida mudou totalmente, uma vez que o Santos voltou com uma postura agressiva, conseguindo o empate logo aos 2 minutos, através de um gol anotado pelo camisa 17 Lucas Crispim. Dois minutos após, o camisa 18 santista Zé Roberto, que entrou no intervalo, conseguiu perder um gol incrível, concluindo contra o poste uma bola que sobrou no interior da pequena área com o gol aberto. Foi inacreditável.

O Santos não deixava a defesa palmeirense respirar e, de tanto insistir, virou o placar na marca dos 8 minutos, através de uma cabeçada do camisa 2 Venício, aproveitando cruzamento vindo da esquerda em cobrança de escanteio.


Cruzamento que resultou no gol da virada santista. Foto: Orlando Lacanna.

Com a virada no marcador, a partida que já era boa, ficou melhor ainda, pois o Santos passou a buscar o terceiro gol, que poderia lhe dar o título, enquanto o Palmeiras brigava pelo empate, visando restabelecer uma vantagem considerável para conquista do título. Os ataques eram frequentes dos dois lados.


Ataque palmeirense pela direita buscando o empate. Foto: Orlando Lacanna.

Dentre as várias chances criadas e desperdiçadas, vale destacar a ótima oportunidade perdida pelo Palmeiras, aos 21 minutos, através de uma jogada individual do camisa 8 João Denoni, cuja finalização tirou tinta do poste esquerdo da meta defendida por Guido.


Bola raspando o poste esquerdo da meta santista, após arremate de João Denoni. Foto: Orlando Lacanna.

À medida que o tempo ía passando, a expectativa pelo surgimento de novos gols era cada vez mais concreta, porém, devido aos caprichos do futebol, nenhum dos times conseguiu marcar novamente e, sendo assim, a partida foi encerrada com o marcador apontando Palmeiras 1 - 2 Santos, resultado que deu o título ao time alviverde, que comemorou muito a conquista, não só pelo troféu, mas também para reafirmar a confiança ao trabalho visando revelar bons valores.


Festa palmeirense após o apito final. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo a partida foi encerrada, a torcida alviverde foi para o gramado e, junto com os atletas, comissão técnica e dirigentes, comemorou muito o título de Campeão. Mesmo com muita gente no interior do gramado, foi realizada a cerimônia de entrega das medalhas e troféus aos integrantes dos dois times.


Atletas do Santos com o troféu prateado do Vice-Campeonato. Foto: Orlando Lacanna.


Agora a turma do Palmeiras vibrando com o troféu dourado de Campeão. Foto: Orlando Lacanna.


Início da tradicional volta olímpica. Foto: Orlando Lacanna.


Alta cúpula do Palmeiras (Presidente Arnaldo Tirone e o Vice-Presidente Roberto Frizzo) prestigiando a conquista da garotada. Foto: Orlando Lacanna.

Como de hábito, o JP deixa os cumprimentos aos atletas, comissão técnica, dirigentes e torcedores da equipe vencedora, no caso o Palmeiras, bem como a todos do Santos pela boa campanha. Gostei muito de vários jogadores, tanto do alviverde como do time praiano, que poderão, com o tempo, despontar como grandes personagens do futebol.

Fim de jogo e de festa, retornando em seguida a São Paulo, com a sensação agradável de poder mostrar aos amigos que nos acompanham, mais uma decisão. Foi isso.

Abraços,

Orlando

sábado, 26 de novembro de 2011

Juventus nas quartas da I Copa Ouro sub-18 da APF

Opa,

Continuando com a saga de caçar "jogos perdidos" nesse final de ano, a tarde de quinta-feira reservou mais uma peleja válida pela I Copa Ouro sub-18, organizada pela Associação Paulista de Futebol. Mesmo com um calor dos infernos, fui até o Estádio Conde Rodolfo Crespi para acompanhar in loco o duelo entre o Juventus e o Paraná Clube.

Soa estranho e incomum um "Paraná Clube" filiado a uma entidade paulista, e aproveitamos esse jogo para tirar a dúvida. Soubemos que a equipe que está disputando essa competição é sediada na cidade de São José dos Campos, e funciona como uma espécie de "franquia oficial" do time paranaense. Caso algum atleta consiga algum destaque, o mesmo é "promovido" para as categorias de base na cidade de Curitiba.

Dúvida sanada, agora era a hora de fazer as fotos oficiais dos times e do trio de arbitragem, todos muito atenciosos com o JP:


CA Juventus (sub-18) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Paraná Clube (sub-18) - Curitiba/PR (mas sediado pela APF na cidade de São José dos Campos/SP, como uma espécie de franquia do time paranaense). Foto: Fernando Martinez.


Capitães dos times e trio de arbitragem. Foto: Fernando Martinez.

Fazendo parte do Grupo 2 da competição, o quadro grená já estava classificado como primeiro colocado da chave para as quartas-de-final antes mesmo dessa partida. O Paraná também já tinha carimbado seu passaporte para a próxima fase, restando apenas a definição do adversário na fase seguinte. Vale registrar que os grenás jogam esse certame com a equipe que irá disputar a Copa São Paulo no próximo mês de janeiro. Interessante já ter uma ideia do que o onze paulistano pode aprontar na Copinha, quando jogará num grupo com o Corinthians, Desportiva e Santos/PB.

Para esse jogo, contei novamente com a companhia dos amigos Renato e Sérgio, todos derretendo com o forte calor. Resolvemos então ver o jogo das tribunas históricas da Javari. Mesmo sendo um jogo fantasma, o público, cerca de 30 pessoas, compareceu na casa grená.


Falta para o Paraná pela esquerda do seu ataque. Foto: Fernando Martinez.

Desde os primeiros movimentos, o Juventus se mostrou bastante superior e encurralou a molecada do Paraná no seu campo de defesa. Aos 18 minutos a pressão foi premiada com um golaço de falta que entrou no canto direito do goleiro visitante. Só que os torcedores grenás não contavam com o surpreendente empate do Paraná aos 22 minutos. Após contra-ataque rápido pela direita, a bola foi cruzada na área, e sem nenhuma marcação um atacante do onze visitante apareceu livre para deixar tudo igual.


Bola estufando as redes no primeiro gol do quadro grená na partida. Foto: Fernando Martinez.


Bola alçada dentro da área paranaense. Foto: Fernando Martinez.

Nos minutos restantes o Juventus continuou melhor, mas não transformou esse domínio no segundo gol. Enquanto isso, nas tribunas discutimos exaustivamente toda a logística e cronograma de partidas de cada um para a Copa São Paulo 2012. Todos nós, amantes de times menores e desconhecidos pela grande mídia, montamos uma "lista de desejos" básica e vamos arredondando até colocar tudo em prática em janeiro. Diferente desse ano, quando estava no fundo do negro vale de dias bem ruins, em 2012 pretendo sair por aí matando times e trazendo as matérias para as páginas do JP.


Ataque juventino pela esquerda na etapa final. Foto: Fernando Martinez.

No intervalo o amigo Renato foi fazer uma boquinha ali perto, enquanto eu e o Sérgio não conseguimos enfrentar o forte sol. Com a preguiça tomando conta das nossas pobres almas, aguardamos quietinhos o recomeço da peleja. Peleja que teve o panorama inalterado durante os 45 minutos finais, pois o Juventus jogou ainda melhor. Não demorou muito para que chegasse o segundo gol, através de cobrança de pênalti.


Segundo gol do Moleque Travesso na partida. Foto: Fernando Martinez.


Troca de passes no setor ofensivo dos donos da casa. Foto: Fernando Martinez.

Com o forte calor, o ritmo do jogo diminuiu um pouco, pois nem atletas sub-18 conseguem enfrentar o bafo e não saírem cansados. Mesmo assim, os grenás cansaram de perder oportunidades para ampliar a vitória. O terceiro acabou vindo só nos acréscimos em lance bastante confuso dentro da área paranaense. Final de jogo: Juventus 3-1 Paraná. A vitória deixou o Moleque Travesso com 13 pontos e disparado na liderança da chave. Na próxima fase, o time pega o Guarulhos em casa, enquanto o Paraná enfrenta, no campo adversário, o Pão de Açúcar.

A impressão que tivemos da equipe sub-18 juventina foi a melhor possível, e como ainda falta mais de um mês para a Copinha começar, acreditamos que o time possa fazer um bom papel no certame. Após o jogo ainda permanecemos bastante tempo na Javari, conversando com os envolvidos na peleja e com um dos diretores de futebol do time, o ex-goleiro Marcelo (que apareceu muito por aqui em partidas clássicas da equipe paulistana).

Mais de uma hora de conversa depois, fomos para a estação Mooca, e dali seguimos até a estação Tamanduateí. Os amigos seguiram para o metrô, enquanto eu voltei para casa, derretendo e destruído, pronto para encarar uma genial rodada dupla de futebol americano na TV, infelizmente com uma derrota do meu time na NFL, o San Francisco 49ers.

Até a próxima!

Fernando

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Quarta-feira com Barcelona na pauta do JP

Fala, pessoal!

Diferente do que alguns possam imaginar, o título do post não diz respeito ao dito grande time da atualidade, que fez um jogo difícil contra o Milan na quarta-feira passada, válido pela Champions League. O Barcelona em questão é seu xará paulistano (bom, aqui no JP não poderia ser outro), que nesse ano de 2011 ficou fora do profissionalismo, mas jogou campeonatos de base da FPF.

Um leitor mais atento ao cronograma futebolístico poderia perguntar "mas os campeonatos de base da FPF estão todos na reta final, então como o time da zona sul pode estar ainda em atividade?". Realmente, como o ano de 2011 está nos seus últimos suspiros, chegou a hora do pessoal do JP (no caso, somente eu mesmo) buscar pelejas incomuns e perdidas.

Graças a uma pesquisa do amigo Renato Rocha, descobrimos um torneio perdidaço válido por uma entidade que nunca apareceu nas páginas virtuais do JP. Falo da Associação Paulista de Futebol, fundada em 1985 e responsável por organizar torneios de base com a presença de vários times que também fazem parte da FPF. Nesses meses de novembro e dezembro, a APF armou um simpático torneio com 12 equipes, a I Copa Ouro sub-18.

Um torneio como esse precisava contar com a presença do blog. Perdi a chance de cobrir duas partidas nas semanas anteriores pois ainda estava na minha fase Pearl Jam, mas nessa semana a minha presença foi obrigatória. Afinal de contas, não dava para perder o jogo entre Barcelona e Guarulhos no Estádio Ícaro de Castro Mello em plena quarta às 19 horas. Jogo mais perdido, impossível.


Barcelona EC (sub-18) - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


AD Guarulhos (sub-18) - Guarulhos/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem da partida e capitães das equipes. Foto: Fernando Martinez.

As duas equipes fazem parte do Grupo 1 do certame, que também conta com Pão de Açúcar, Itapirense, Bragantino e Matonense. O Grupo 2 conta com as equipes do Juventus, Taubaté, Ituano, São Caetano, Monte Alegre Futebol e Paraná Clube (ainda falarei sobre a presença desse time no próximo post sobre o torneio). A peleja foi válida pela última rodada da primeira fase, e o onze paulistano precisava da vitória para garantir a vaga na segunda fase. Um empate bastava para o time visitante se classificar.

Ao chegar no Ibirapuera logo encontrei o amigo Renato, pronto para fazer seu début como gandula (!) numa partida de futebol. Depois conversei bastante com o sempre simpático presidente do Barcelona Paulo Moura, que falou sobre os planos do time para 2012. A ideia é que a equipe de São Paulo volte em definitivo para o profissionalismo, inclusive mandando os jogos no Ícaro de Castro Mello em dias de semana no período noturno. Torcemos (e muito) para que isso realmente aconteça.


Ataque local pela esquerda no comecinho da peleja. Foto: Fernando Martinez.

Entrei então no campo de jogo e pude notar que a demorada reforma deixou o local com um aspecto muito melhor do que vi na minha última visita lá, no ano de 2008. A parte coberta e as arquibancadas estão com assentos novos, a iluminação é ótima e o gramado, se não é nenhum tapete, é melhor do que 80% do que temos no estado. Não demorou para que o Mílton e o Sérgio logo chegassem e se juntassem ao que vos escreve para acompanhar a peleja.


Bola alçada na área do Guarulhos. Foto: Fernando Martinez.


Ótima chance dos donos da casa, mas que foi desperdiçada. Foto: Fernando Martinez.

Num final de tarde extremamente agradável, vimos uma partida muito bem disputada e recheada de emoções, por mais que isso possa parecer estranho. Fomos acompanhar o ataque local nos primeiros 45 minutos, e a equipe paulistana tentou abrir o marcador em rápidas investidas pelas laterais, mas não teve êxito. O quadro guarulhense, que no começo se limitou apenas a suportar a pressão paulistana, passou a criar boas chances após os 30 minutos.


Detalhe do belíssimo final de tarde na capital paulista. Foto: Fernando Martinez.


Zaga do Guarulhos afastando o perigo. Foto: Fernando Martinez.

Aos 35 então veio o primeiro gol da equipe da Grande São Paulo. A bola foi alçada na área a Felipinho apareceu livre e sem marcação para tocar de cabeça e deixar o ADG em vantagem. Antes do intervalo chegar o time marcou o segundo, agora com Maicon entrando pela direita e chutando cruzado na saída do goleiro aos 43. No intervalo aproveitamos que o Renato era um dos guardiões das bolas da partida e então organizamos uma animada disputa de pênaltis. De forma brilhante, defendi uma cobrança do Mílton e me saí vencedor da contenda.


Detalhe do pênalti batido (com estilo) pelo amigo Mílton. Mas ele não contava com as minhas precisas habilidades de goleiro para fazer a defesa. Foto: Renato Rocha.


A zaga do Barcelona rentou cortar, mas o atacante do Guarulhos quase marca o terceiro nesse lance. Foto: Fernando Martinez.

No segundo tempo ficamos do mesmo lado do campo, agora acompanhando o ataque guarulhense. O Barcelona tentou impor algum domínio na peleja, mas a defesa do ADG neutralizou de forma precisa as investidas. O time visitante foi dono do jogo, e chegou perto de ampliar o placar mais de uma vez. A chance mais fantástica saiu num chute do meio de campo (!), aonde a bola encontrou a trave do goleiro paulistano. Seria uma pintura de gol. Minutos depois, mais precisamente aos 37, o terceiro finalmente saiu num chutaço de muito longe de Tauan. O arqueiro local fez golpe de vista e a bola acabou encontrando o ângulo esquerdo.


Boa saída do goleiro local. Foto: Fernando Martinez.


Bola no fundo das redes do Barça paulistano, no terceiro gol sofrido pela equipe. Foto: Fernando Martinez.

Final de jogo: Barcelona 0-3 Guarulhos. A vitória classificou o quadro visitante, que pelas quartas de final agora pega o Juventus fora de casa na próxima semana. Se tudo der certo (leia-se se eu acordar direitinho) estarei presente no jogo. E independente da derrota, o que valeu mesmo foi ver mais uma vez o Barcelona em campo, e contamos muito que a equipe possa mesmo voltar ao profissionalismo em 2012.


De dentro do gol, detalhe de ataque visitante no final do jogo. Foto: Fernando Martinez.


O amigo Renato Rocha, no seu histórico début como gandula "profissional". Foto: Fernando Martinez.


O pódio mostrando os destaques da noite no Ibirapuera. Foto: Fernando Martinez.

Após o apito final ainda ficamos por ali conversando muito e sem nenhuma pressa pegamos o caminho da roça rumo ao metrô Paraíso. Bom demais rever os amigos e jogar conversa fora. Na quinta-feira encontrei novamente o pessoal para mais um jogo dessa competição, agora na Rua Javari.

Até lá!

Fernando