Procure no JP

terça-feira, 12 de julho de 2011

Brasilis garante vaga na próxima fase da Segundona

Olá,

No último fim de semana, tive a oportunidade de estar presente em apenas uma partida válida por uma das competições acompanhadas pelo JOGOS PERDIDOS. Para variar um pouquinho, fui ver de perto um jogo valendo pelo Campeonato Paulista da Segunda Divisão. A pedida dessa vez, foi viajar até a turística cidade de Águas de Lindóia, indo ao Estádio Leonardo Barbieri, palco da partida Brasilis F.C. Ltda. x E.C. São Judas Tadeu Jaguariúna F. Ltda., que valeu pela 11ª rodada da primeira fase da competição, no seu Grupo 3.

Essa partida era decisiva para o time da casa, uma vez que a vitória o conduziria à próxima fase do campeonato, tendo pisado no tapete verde com 8 pontos e situado na 4ª posição. Pelos lados dos visitantes, a partida representava a oportunidade de conseguir a primeira vitória na competição, pois até aquele momento, o time de Jaguariúna não havia vencido ninguém, tendo conseguido apenas um empate. Estava colocado na última (6ª) posição do grupo, com -5 pontos. A pontuação negativa nasceu de uma punição aplicada pelo TJD da FPF, que resultou na perda de 6 pontos, por conta da inclusão de jogadores irregulares em duas partidas.

Cheguei ao meu destino meio em cima da hora, mas nada que impedisse fazer as fotos oficiais dos times e dos arbitros, que posaram com exclusividade para o JP. As fotos estão apresentadas abaixo:


Brasilis F.C. Ltda. - Águas de Lindóia/SP. Foto: Orlando Lacanna.


E.C. São Judas Tadeu Jaguariúna F. Ltda. - Jaguariúna/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Trio de arbitragem comandado por Regildênia de Holanda Moura com seus assistentes Giuliano Neri Colisse e Willian Rogério dos Santos Turola, ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

A partida foi realizada com portões fechados, por conta da falta de um laudo do Corpo de Bombeiros. Confesso que viajei não sabendo dessa situação, que tem sido meio frequente na competição desse ano.

Nos primeiros trinta minutos de bola rolando, as ações foram equilibradas, com o Brasilis mantendo um pouco mais a posse de bola, porém não conseguindo criar jogadas ofensivas que levassem perigo ao goleiro adversário. Somente aos 22 minutos, o time mandante conseguiu concluir pela primeira vez contra a meta adversária e, mesmo assim, o arremate de Reginaldo não levou perigo.


Uma das tentativas de ataque do Brasilis no início da partida. Foto: Orlando Lacanna.


Primeira conclusão dos donos da casa executada por Reginaldo. Foto: Orlando Lacanna.

Os visitantes jogavam com muita tranquilidade e conseguiram criar dois bons momentos, sendo o primeiro na marca dos 24 minutos, num bonito giro e arremate do centroavante Lucas, no interior da área, que passou por cima do travessão. O segundo momento foi aos 26 minutos, quando o camisa 7 Makson cobrou falta com perigo, obrigado o goleiro e capitão Adriano a praticar boa defesa.

A partir do trigésimo minuto, o Brasilis começou a tomar conta do jogo, impondo a sua melhor condição técnica e criando situações que pederiam ter resultado em bola na rede. Aos 30 minutos, o lateral João Paulo cobrou uma falta alçando a bola para o interior da área, achando o zagueiro Fabão, que cabeceu com perigo, exigindo a primeira boa defesa do goleiro Franciel.


Defesa do goleiro Franciel saindo nos pés do atacante Gian. Foto: Orlando Lacanna.

Pouco a pouco, o domínio do Brasilis foi ficando mais acentuado e as chances foram surgindo, como aconteceu aos 33, 37 e 38 minutos em lances que foram concluídos por Reginaldo, Leonardo (de cabeça) e William. Como as oportunidades não foram aproveitadas, os primeiros 45 minutos chegaram ao fim sem que ninguém mexesse no placar, num primeiro tempo que o Brasilis ficou devendo.

Durante o intervalo, dei uma chegada na lanchonete do estádio e lá encontrei o ex-atleta Oscar, que defendeu a Ponte Preta, São Paulo, Seleção Brasileira, etc. Ele é o comandante do Brasilis, embora o Presidente seja o seu filho Matheus, que estava no banco de reservas, usando a camisa 18, podendo entrar na partida a qualquer momento, o que acabou acontecendo por volta dos 30 minutos da segunda etapa. Lembrei do time do Perilima do estado da Paraíba, cujo Presidente também atuava pela equipe.


O ex-zagueiro Oscar da Seleção Brasileira e seu filho Matheus atual Presidente do Brasilis. Fotos: Orlando Lacanna.

Na segunda etapa, o panorama da partida mudou totalmente, pois desde primeiro minuto, o Brasilis tomou conta das ações, não dando nenhuma chance ao São Judas de articular jogadas de ataque. O jogo se tornou praticamente de uma única equipe. Nesse toada, o placar só não foi inaugurado, aos 16 minutos, graças a um verdadeiro milagre do goleiro Franciel que espalmou um tiro à queima-roupa do centravante Gian. Houve rebote e na nova conclusão, o goleiro voltou a evitar o gol, desviando para escanteio. Foram duas defesas de porte.


Defesa sensacional do goleiro Franciel do São Judas. Foto: Orlando Lacanna.

De tanto insistir, o Brasilis chegou ao seu gol inaugural na marca dos 20 minutos, anotado pelo camisa 9 Gian, numa cabeçada desferida da entrada da grande área e de costa para o gol, surpeendendo o goleiro do São Judas, que quando se deu conta, a bola já estava no fundo da sua meta.


Bola estufando a rede no gol inicial do Brasilis. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo em vantagem no placar, o Brasilis manteve a postura ofensiva, visando o aumento da contagem para liquidar a fatura de vez e garantir classificação para a segunda fase. Aos 33 minutos, o camisa 16 Wilson, marcou o segundo gol dos anfitriões, após aproveitar um lançamento sob medida pela meia esquerda, tocando com categoria no canto esquerdo da meta defendida pelo goleiro Franciel. Dois minutos após, o zagueiro Fabão quase marca o terceiro gol, numa cabeçada desviada pelo goleiro.

Ao longo da segunda etapa o São Judas praticamente inexistiu no ataque, tendo arrematado pela primeira vez, somente aos 39 minutos, numa conclusão que o goleiro Adriano defendeu sem maiores problemas. Aos 42 minutos, o volante Reginaldo do Brasilis, numa bobeira, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso, desfalcando a sua equipe para o próximo jogo e talvez por mais alguns, dependendo do resultado do julgamento.


Jogada aérea do ataque do Brasilis na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

A partida chegou aos seu final com o marcador indicando Brasilis 2 - 0 São Judas Tadeu, resultado que classificou matematicamente o time de Águas de Lindóia, que permaneceu na 4ª posição, agora com 11 pontos, não podendo mais ser alcançado pelo 5º colocado. Quanto ao time de Jaguariúna, ainda não foi dessa vez que a primeira vitória foi conseguida.

Fim de jogo e, diferente das viagens anteriores, dessa vez não retornei a São Paulo, permanecendo na linda Águas de Lindóia para passar o resto do fim de semana, desfrutando das belezas da cidade e do conforto do hotel escolhido para hospedagem. Dessa vez, combinei futebol com turismo, uma vez que ninguém é de ferro. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário