Procure no JP

domingo, 29 de agosto de 2010

Taboão continua impecável na Segundona

Olá!

Na última quarta-feira eu segui até Taboão da Serra, no Estádio Vereador José Feres, para acompanhar a partida Taboão da Serra x Desportivo Brasil, valendo pela penúltima rodada da segunda fase da Segundona Paulista. Como sempre acontece por lá, o JOGOS PERDIDOS é muito bem recebido e aí fica fácil para fazermos nosso trabalho. Para começar, seguem as fotos oficiais da partida:


C. A. Taboão da Serra - Taboão da Serra/SP. Foto: Emerson Ortunho.


Desportivo Brasil P.L. - Porto Feliz/SP. Foto: Emerson Ortunho.


O árbitro Vinicius Furlan e os assistentes Giulliano Neri Colisse e Luiz Antonio Corrêa posam junto com os capitães dos times. Foto: Emerson Ortunho.

Sob um clima bem agradável a partida começou muito movimentada. O Taboão da Serra que já vinha fazendo uma grande segunda fase foi logo mostrando o porquê dessa boa campanha e partiu para cima do Desportivo Brasil. A equipe visitante, por sua vez, também foi mostrando um bom futebol, fazendo que os poucos presentes na arquibancada não desviassem a atenção do jogo.


Início de partida movimentada em Taboão. Foto: Emerson Ortunho.


Forte marcação do Desportivo na partida. Foto: Emerson Ortunho.

Produzindo mais jogadas de ataque, o CATS foi chegando muito próximo do gol e ele acabou saindo aos 32 minutos com o volante Kanu, que aproveitou um rebote e mandou para os fundo das redes. O Desportivo Brasil, apesar do gol sofrido, não mudou sua postura mais acanhada e continuou deixando o Taboão jogar.


Kanu parte para o abraço após colocar a bola no fundo das redes. Foto: Emerson Ortunho.

No segundo tempo, o Desportivo Brasil melhorou um pouco e se lançou mais vezes ao ataque, o que deixou um ambiente ideal para os contra-ataques do Taboão. Pena que os atacantes do time da casa estavam com os pés descalibrados, pois cansaram de perder gols no segundo tempo.


Lance da partida Taboão x Desportivo Brasil. Foto: Emerson Ortunho.


Chute a gol do Desportivo na busca pelo empate. Foto: Emerson Ortunho.

As várias chegadas das duas equipes ao ataque também acabaram acarretando mais faltas na partida, e a arbitragem teve que ter pulso para controlar o jogo. Contudo, apesar de mais movimentado, o segundo tempo acabou não tendo gols, e o placar do primeiro tempo foi preservado.


Lance na lateral em um dos contra ataques do Taboão. Foto: Emerson Ortunho.

Final de jogo: Taboão da Serra 1 x 0 Desportivo Brasil. O Taboão faz uma campanha ótima nessa segunda fase e com o comando do veterano Terrão, tem tudo para brigar por uma vaga na Série A3 de 2011. O Desportivo Brasil não é uma equipe ruim, mas está apresentando um futebol sem muito entusiasmo. Alguma coisa desviou o foco dessa moçada na segunda fase e o time está eliminado.

Depois foi só encarar o tradicional trânsito paulistano para mudar de lado da cidade e seguir para meu novo destino.

Abraços!

Emerson

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

Empate em Águas de Lindóia entre Brasilis e Santacruzense

Olá pessoal,

Na tarde da última quarta-feira fui até o Estádio Municipal Leonardo Barbiéri, localizado na bela e pacata estância de Águas de Lindóia, acompanhar o embate entre Brasilis e Santacruzense, válido pela penúltima rodada da segunda fase do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Com um calor muito forte e em dia de trabalho, não era de se esperar muito gente no estádio, e foi o que aconteceu, mas antes de falar do jogo vamos as tradicionais fotos posadas.


Brasilis FC - Águas de Lindóia/SP. Foto: Victor Minhoto.


AE Santacruzense - Santa Cruz do Rio Pardo/SP. Foto: Victor Minhoto.


O árbitro Robinson José Andréa de Góes e os assistentes Vicente Romano Neto e Matheus Camolesi posam junto com os capitães dos times. Foto: Victor Minhoto.

Apesar do forte calor o jogo começou a todo vapor, as duas equipes correndo muito e se aplicando na marcação. Como jogava em casa o Brasilis procurava mais o ataque do que o adversário, porém, a bem postada zaga tricolor não permitia que seu arqueiro sofresse maiores sustos. A Santacruzense apenas ia ao ataque em situações que sua defesa não ficava desguarnecida, com isso a maioria das suas oportunidades foram tiros de longa distância facilmente defendidos pelo arqueiro local Adriano.


Disputa de bola durante a primeira etapa. Foto: Victor Minhoto.

Com o passar da primeira etapa o Brasilis foi tentando se soltar e em algumas ocasiões, especialmente em cruzamentos e jogadas articuladas pelo meia Pedro Henrique, levou certo perigo ao gol de Luciano. Essa atitude mais ousada dos locais permitiu que o ataque visitante também pudesse mostrar seu futebol, e em um desses contra-ataque saiu a melhor chance do primeiro tempo, mas como a mesma não foi aproveitada, fomos para o intervalo sem abertura do placar.


Cabeçada que levou perigo a meta tricolor ainda no primeiro tempo. Foto: Victor Minhoto.

A segunda etapa começou da mesma forma que a primeira, com o Brasilis controlando mais as ações, mas com poucas chances de gol criadas, muito em razão da boa atuação da zaga tricolor comandada por Zé Hilton. Dessa forma parecia que o jogo se encaminharia para o final sem amiores emoções. Entretanto, o técnico Lelo (ex-Linense) da Santacruzense fez modificações que deixaram sua equipe mais na defensiva, com a clara intenção de segurar o empate.


Lance em que a zaga da Santacruzense impediu em cima da linha o gol do Brasilis. Foto: Victor Minhoto.

A partir deste instante o quadro visitante chamou para seu campo o Brasilis, que aí sim começou a criar mais chances perigosas. Em duas ocasiões o ataque mandante chegou na cara do gol adversário, mas o bom arqueiro Luciano (ex-São Caetano) fez excelentes defesas. Quando não era o goleiro, ou a bola ia para fora ou outro jogador tricolor salvava a pátria, como no último lance da partida, em que após um cruzamente a bola passou sobre Luciano e foi tocada em direção ao gol, mas o centroavante Neto Mineiro impediu o gol da equipe verde em cima da linha fatal.

Com isso o placar ficou mesmo em Brasilis 0x0 Santacruzense, sendo que a decisão dos dois classificados deste grupo ficou mesmo para a última rodada. No próximo domingo a líder com 10 pontos Santacruzense pega o terceiro colocado Primavera, que tem 7 pontos. Já o vice-líder Brasilis, com 8, viaja para enfrentar o já eliminado Américo, que tem 3 pontos.

Até a próxima,

Victor

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

JP em Aracaju na Série D do Brasileiro

Olá,

No último fim de semana foi realizada a derradeira rodada da primeira fase do Campeonato Brasileiro da Série D e objetivando, sempre que possível, apresentar algo diferente aos internautas que acompanham o JP, voei até a belíssima cidade nordestina de Aracaju, para ver de perto o confronto entre uma equipe que começa a ter destaque no âmbito nacional, no caso a S.E. River Plate da cidade de Carmópolis/SE contra o tradicional Treze F.C. de Campina Grande/PB. O palco da partida foi o Estádio Estadual Lourival Baptista, popularmente conhecido como Baptistão.


Escudo da S.E. River Plate. Foto: Orlando Lacanna.

A equipe sergipana entrou na competição nacional por ter conquistado o título estadual da Série A1 de 2.010. Sua sede fica na cidade de Carmópolis, distante 47 km da Capital, contando com 13.000 habitantes aproximadamente. Normalmente manda seus jogos no Estádio Idalito Oliveira com capacidade para 2.500 espectadores, sendo que no ano passado disputou a Série A2.

Chegando ao estádio, fui recepcionado pelo Diretor Técnico da FSF, o gentil Prof. Orliandes, que me conduziu ao interior do gramado e também me apresentou aos repórteres das rádios locais. Após os cumprimentos, passei a acompanhar a segunda partida preliminar que envolveu as equipes do Cotinguiba E.C. e do S.C. Aracaju, valendo por uma das semifinais da categoria sub-13. No tempo regulamentar houve empate (1x1) e na decisão por pênaltis, o centenário Cotinguiba levou a melhor por 4 a 3, se habilitando a disputar a final contra o Paulistano que eliminou o Flusão Tricolor na primeira preliminar. Foi gratificante ver em ação a molecada e, no intuito de homenageá-la, publico as fotos dos times posados.


Cotinguiba E.C. - Aracaju/SE (sub-13) e S.C. Aracaju - Aracaju/SE (sub-13). Fotos: Orlando Lacanna.

Depois do show da meninada, fui para o centro do gramado e lá aguardei a entrada das equipes que iriam jogar a partida principal, as quais, juntamente com o trio alagoano de arbitragem, posaram com exclusividade para as lentes do JP. As fotos estão apresentadas abaixo:


S.E. River Plate - Carmópolis/SE. Foto: Orlando Lacanna.


Treze F.C. - Campina Grande/PB. Foto: Orlando Lacanna.


Trio de arbitragem de Alagoas ao lado dos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Voltando ao foco principal da minha viagem, a partida envolvia uma equipe já classificada para a próxima fase, no caso o Treze, contra uma outra, o River Plate, que além de vencer, teria que torcer por um mal resultado do Fluminense de Feira/BA na sua partida em casa contra o Central de Caruaru/PE já eliminado da competição. Sem dúvida tratava-se de uma missão muito difícil, mas só ao final dos noventa minutos das duas partidas, saberíamos o desfecho da classificação do Grupo 5 do campeonato.

Com a bola rolando, o que se viu foi um Treze melhor armado na primeira meia hora, tendo criado o primeiro bom momento aos 9 minutos, numa cabeçada perigosa desferida pelo atacante Vavá, que obrigou o goleiro Pablo a praticar a primeira boa defesa do jogo.


Primeiro lance mais agudo do ataque paraibano no início da partida. Foto: Orlando Lacanna. 

Até por volta do vigésimo minuto, a jogo foi disputado num ritmo morno, com o time da Paraíba controlando a maior parte das ações, enquanto os sergipanos apresentavam dificuldades em criar jogadas ofensivas. Aos 21 minutos, o Treze chegou a marcar através do atacante Thiago Cunha, mas a arbitragem não validou o gol, apontando impedimento. Sete minutos depois, o time alvinegro chegou forte ao ataque, mas novamente o arqueiro do River Plate acabou com a festa.


Disputa acirrada pela bola junto à lateral. Foto: Orlando Lacanna.


Arrancada do Treze ao campo de ataque. Foto: Orlando Lacanna. 

Somente na marca dos 37 minutos o River Plate chegou com perigo à área dos visitantes, numa arrancada do lateral direito Fabiano que culminou num cruzamento rasante para o interior da área, mas aí apareceu o zagueirão André Lima e despachou o perigo, Dois minutos mais tarde, o mesmo Fabiano desferiu um tiro da intermediária, exigindo difícil defesa do goleiro Wanderson (ex-XV de Piracicaba). No último minuto da primeira etapa, o River Plate voltou a apertar e, para variar, novamente através do lateral Fabiano e mais uma vez, o goleiro visitante mostrou serviço. Logo depois o árbitro encerrou o primeiro tempo sem abertura de contagem. 


Tentativa de ataque do River Plate no final da primeira etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Na segunda etapa, o River Plate voltou determinado a assumir a vantagem no placar, até porque só a vitória lhe daria esperança de continuar sonhando em seguir na competição. Aos 6 minutos o lateral esquerdo Piauí cobrou uma falta com categoria, porém, mais uma vez, o goleiro Wanderson foi chamado a intervir e o fez muito bem. Um minuto depois, o meia Álisson desperdiçou a melhor chance até então dos donos da casa, ao bater com estilo do interior da área próximo à marca de pênalti, mas para sua infelicidade, a bola subiu muito e a chance foi embora.


Defesa do goleiro Wanderson em cobrança de falta. Foto: Orlando Lacanna. 

A resposta dos paraibanos foi dada aos 11 minutos, num chute rasante do volante Rone que obrigou o goleiro Pablo a se virar em outra boa defesa. Ao longo da segunda etapa, o River Plate melhorou o seu rendimento ofensivo e como consequência, chegou ao seu gol, anotado por Fabiano aos 21 minutos, após ótima triangulação pelo lado direito.


Início de mais uma ação ofensiva do River Plate na segunda etapa. Foto: Orlando Lacanna.

Em desvantagem no marcador, o Treze foi com tudo na busca da igualdade, tendo chegado muito perto de conseguí-la aos 24 minutos, num contra-ataque pelo meio, cuja conclusão do centroavante Vavá foi defeituosa e com isso, foi perdida uma chance incrível. Aos 36 minutos, o Treze chegou perto do empate novamente, agora num arremate de Jociano que explodiu contra o poste direito da meta dos anfitriões.


Oportunidade de ouro desperdiçada pelo Treze. Foto: Orlando Lacanna. 

Nos últimos dez minutos, os dois times se esforçaram para chegar ao gol adversário, criando algumas chances, porém nenhuma delas foi convertida em gol e, dessa forma, a partida foi encerrada com o resultado de River Plate 1 - 0 Treze, que eliminou a equipe sergipana do campeonato, pois o Fluminense de Feira não deu mole na partida contra o Central, vencendo-o por 2 a 1. Com relação ao Treze, a derrota pouco significou, uma vez que entrou em campo já classificado. Vai seguir na competição, participando da segunda fase que será disputada no sistema de mata-mata em jogos de ida e volta, tendo como adversário o Araguaína/TO.

Tão logo a partida foi encerrada, voltei ao hotel para um bom descanso, pois no dia seguinte iria começar a usufruir as belezas da capital sergipana, incluindo muita praia e sol. Foi isso.

Abraços,

Orlando

Boa vitória do Bernô em cima do Mauaense pelo Paulista sub-20

Opa,

Após a cobertura do Victor no jogo entre Atibaia e Atlético Mogi no último dia 20 de agosto, agora foi minha vez de estrear numa partida do Campeonato Paulista sub-20 da segunda divisão. O jogo entre EC São Bernardo e Mauaense no Baetão era perfeito para essa "estreia".

Junto comigo o Mílton também seguiu até o ABC paulista, e logo quando pintamos no estádio conferimos a presença do abnegado Pedro, que segura a bronca sempre nos jogos do Bernô. E nesse jogo consegui fotos exclusivas para o JP.


EC São Bernardo (sub-20) - São Bernardo do Campo/SP. Foto: Fernando Martinez.


GE Mauaense (sub-20) - Mauá/SP. Foto: Fernando Martinez.


Trio de arbitragem da partida e capitães dos times. Foto: Fernando Martinez.

Num campeonato de tiro curto como esse, perder pontos em casa pode ser crucial em termos de classificação. São oito grupos com cinco times cada, e somente os dois primeiros de cada chave se garantem na segunda fase. O Bernô e a Locomotiva estão no grupo 7, junto com Jabaquara, São Vicente e Palestra.


Disputa de bola na lateral do campo. Foto: Fernando Martinez.


Início de ataque do Bernô. Foto: Fernando Martinez.

Após as fotos permaneci na única sombra disponível dentro do gramado sintético do Baetão. E contrariando minhas expectativas após o terrível final de Segundona do Bernô, a equipe jogou muito bem durante todo o tempo. O Mauaense tentou impor um bom ritmo no começo, mas a postura do alvi-negro dentro da cancha foi perfeita.


Saída de bola para os donos da casa, sempre com a marcação do Mauaense. Foto: Fernando Martinez.

A vantagem no marcador foi conquistada aos 36 minutos, em lance bastante contestado pelo pessoal do time de Mauá. O jogador Ramsés recebeu passe longo e tocou por cima do goleiro. Todos do Grêmio pediram impedimento, mas a auxiliar número 2 não quis nem saber. Na arquibancada, o Mílton teve a impressão de que realmente houve irregularidade no lance.


Gol claro perdido pelo Bernô na segunda etapa... a bola foi por cima da trave. Foto: Fernando Martinez.

O primeiro tempo então terminou com a vitória parcial dos donos da casa. Mas no tempo final o Bernô foi ainda melhor. E o destaque desses 45 minutos foi o camisa 11 Daniel. Ele foi o comandante da equipe do ABC, marcando dois gols e mostrando muita qualidade ofensiva.

O primeiro gol dele, e o segundo do Bernô, veio logo aos 42 segundos da segunda etapa, com um chute firme depois de bom passe na entrada da área. O terceiro gol do EC São Bernardo aconteceu aos 20 minutos, numa jogada individual do mesmo Daniel. A equipe teve chance de fazer o quarto, mas o goleiro do Mauá defendeu uma cobrança de penalidade máxima aos 25 minutos.




Pênalti perdido pelo EC São Bernardo em bela defesa do goleiro do Grêmio. Foto: Fernando Martinez.

O Mauaense tentou se reorganizar e marcou o primeiro aos 40 minutos, mas já era tarde. Final de jogo: EC São Bernardo 3-1 Mauaense. Gostei bastante da equipe alvinegra, e se continuar mostrando esse futebol tem reais chances de classificação.

Até a próxima!

Fernando

Elosport vence o União Mogi e fica perto da vaga na Segundona Paulista

Opa,

Após o jogo na cidade de Mauá no sábado cedo, resolvi seguir para o meu lar curtir um descanso na quente tarde de sábado. Mas no caminho de casa, o seu Natal entrou em contato e fez um irrecusável convite para acompanhar mais uma partida do Campeonato Paulista da Segunda Divisão. Dei meia-volta, o encontrei na Zona Leste paulistana, e dali seguimos para a cidade de Mogi das Cruzes, aonde União Mogi e Elosport tinham duelo marcado no Estádio Nogueirão.

Dessa vez ele não se perdeu, e graças a isso estava no gramado do estádio de Mogi das Cruzes faltando ainda muito tempo para o apito inicial. E como não poderia deixar de ser, fiz as fotos oficiais e exclusivas da peleja:


União FC - Mogi das Cruzes/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Elosport CB - Capão Bonito/SP. Foto: Fernando Martinez. 


O árbitro Sérgio da Rocha Gomes, os assistentes Celso Barbosa de Oliveira e Caio Mesquita de Almeida e os capitães das equipes posando para o JP. Foto: Fernando Martinez. 

Foi legal ter a chance de acompanhar essa partida, pois pode ter sido o meu último jogo em Mogi das Cruzes pela Segundona em 2010. A equipe do União perdeu todos os seus jogos nessa fase, e no horizonte não havia nada indicando que o time pudesse vencer os seus três últimos jogos para tentar o milagre da conquista da vaga. Para o time de Capão Bonito, uma vitória deixaria a equipe com uma mão e meia na classificação para a terceira fase.


Boa chegada do Elosport no começo do jogo contra o União Mogi. Foto: Fernando Martinez. 

Mesmo com o forte sol fui acompanhar o ataque do onze visitante durante o primeiro tempo, e logo aos 2 minutos o Elosport já abriu o marcador. O rápido camisa 10 Douglas recebeu na entrada da área e chutou forte no canto esquerdo do arqueiro mogiano fazendo um golaço.


Zagueiro do União subindo no terceiro andar para cabecear a pelota. Foto: Fernando Martinez. 

O União batia cabeça e não conseguia frear o poderoso ímpeto ofensivo do time laranja. Aos 13 veio o segundo com Alan, que escorou de cabeça cruzamento vindo da lateral. A vantagem favorável de 2x0 era tudo que o Elosport queria, pois a partir daí a equipe jogou com muita inteligência.


Falta para o onze mogiano que passou longe do gol. Foto: Fernando Martinez. 

A equipe local tentava, mas a diferença técnica era visível. Para fechar o primeiro tempo ruim dos donos da casa, a equipe vermelha ainda sofreu o terceiro gol aos 38 minutos com o camisa 8 Cícero. O intervalo veio com muita irritação por parte dos torcedores do União e com uma missão impossível para o tempo final.


A zaga do alvirrubro não foi páreo para as rápidas investidas do setor ofensivo do Elosport. Foto: Fernando Martinez. 

Fui então para a sombra da parte coberta do Nogueirão e encontrei ali alguns dos amigos do JP, como o Colucci, Raul Burgo e Juraci Nascimento, também telespectadores assíduos do Programa Jogos Perdidos na ClicTV. Fiquei por lá durante o segundo tempo conversando com o pessoal e curtindo a peleja.


Grande chance do quarto gol visitante no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez. 

A tática do Elosport para o tempo final era clara: se defender para garantir o valioso placar. O onze alvi-rubro buscou pelo menos diminuir o marcador e fazer seu gol de honra, mas o dia não era mesmo da equipe. Por duas vezes eles tiveram chances claríssimas de marcar, mas os atacantes perderam de forma incrível. Nos contra-ataques o time de Capão Bonito também desperdiçou boas oportunidades, e após os 45 minutos o placar não foi alterado.


Três marcadores do União tentando roubar a bola do jogador adversário dentro da área. Foto: Fernando Martinez. 

Final de jogo: União Mogi 0-3 Elosport. A vitória do time laranja, somado com a derrota do Guariba para o Velo Clube no domingo, deixa a equipe do sul paulista precisando apenas de um empate nos seus dois próximos jogos para se classificar para a terceira fase. O Velo já garantiu seu lugar, enquanto o União já está eliminado.

Após o jogo voltamos para São Paulo, e segui para a Zona Norte da cidade completar minha trilogia ZS/ZL/ZN no aniversário da minha adorável mãe. Muita comida, bebida, histórias antigas e risadas fartas regaram a noite de sábado, e o tudo isso fez com que eu abortasse meus planos de jogo no domingo cedo.

Até a próxima!

Fernando

Votuporanguense vence o Mauaense e ainda respira na Segundona Paulista

Fala pessoal!

Desde os primórdios pré-JOGOS PERDIDOS acompanhamos as divisões menores do estado de São Paulo de olho em times novos para a nossa Lista. E apesar disso ter virado raridade nos últimos anos, o último sábado nos proporcionou uma chance rara de incluir uma nova equipe nos nossos arquivos pessoais. Falo do Clube Atlético Votuporanguense, que jogou contra o Grêmio Mauaense no Estádio Pedro Benedetti em Mauá.

Para ver a equipe da cidade de Votuporanga, uma presença óbvia de parte do JP por lá: Emerson, Victor e David, todos para ver uma equipe que jogou a primeira fase no longínquo Grupo 1 da Segundona. Só conseguimos acompanhar esses times "de longe" quando chegam as fases seguintes, e como o CAV não vem fazendo uma campanha boa nessa atual fase e tem chances enormes de já ser eliminado, não dava mesmo para perder essa peleja.

Encontrei o Emerson na Estação Mauá da CPTM e dali fomos rapidinho para o estádio. Mesmo com o Rodoanel agora passando literalmente na porta do estádio, chegamos a tempo para as tradicionais fotos das equipes e do simpaticíssimo trio de arbitragem:


GE Mauaense - Mauá/SP. Foto: Fernando Martinez. 


CA Votuporanguense (e a posição mais legal de se posar para uma foto) - Votuporanga/SP. Foto: Fernando Martinez. 


Capitães dos times e o simpático trio de arbitragem da partida: Árbitro Rodrigo Martins Cintra e assistentes David Botelho Barbosa e Maurício Hélder Alexandrino. Foto: Fernando Martinez. 

Falando um pouco da partida, o Mauaense apostava numa vitória contra o alvi-negro de Votuporanga para continuar com chances de avançar para a terceira fase da Segunda Divisão. Um resultado favorável deixaria o time com seis pontos e ainda com boas chances. Para o CAV, que decepcionou a todos com a pífia campanha nessa fase não conquistando nenhum ponto até ali, a vitória era questão de honra.


Início de ataque do Votuporanguense pela direita. Foto: Fernando Martinez. 

Eu e o Emerson fomos acompanhar o ataque do time visitante, enquanto o Victor foi ver o ataque local. E para surpresa geral, o Votuporanguense dominou a partida durante quase todo o tempo inicial. O Grêmio não conseguiu jogar como fez na partida de Votuporanga, e viu o adversário criar as melhores chances.


Boa defesa do goleiro do Grêmio em chute de longe. Foto: Fernando Martinez. 

O melhor futebol do CAV foi recompensado aos 16 minutos, com um belo gol do camisa 9 Thiago Henrique. Ele recebeu na área e tocou para inaugurar o marcador. O destaque negativo do lance foi a comemoração exacerbada de um fotógrafo de um jornal de Votuporanga após o gol. Durante os primeiros 45 minutos minutos, ele ficou postado em cima da linha de fundo gritando palavras de incentivo ao seu time sem parar e torcendo demais. Profissionalismo zero por parte desse "fotógrafo", e o pior é que em nenhum momento ele foi incomodado pelo quarto árbitro.


Bola no fundo das redes no primeiro do CAV na peleja. Foto: Fernando Martinez. 

O Votuporanguense ainda teve outra chance de ouro em bola tocada por cobertura que tirou tinta da trave. O Mauaense tentava chegar pelas laterais, mas não teve sucesso. A primera etapa então terminou com a vitória parcial dos visitantes pela contagem mínima.


Pose elástica de jogador visitante em cruzamento para a área do Mauaense. Foto: Fernando Martinez. 

Para o segundo tempo desistimos de ficar debaixo do forte sol de Mauá e fomos ver o jogo de confortáveis bancos que ficam no meio do campo. Mas os 45 minutos finais não foram assim uma Brastemp. O Grêmio tentava chegar, mas suas investidas eram todas desordenadas e sem perigo. O CAV procurava se defender, e ainda assim levava relativo perigo em contra-ataques.


Atleta local correndo atrás do adversário. Foto: Fernando Martinez. 

Mas o tempo final foi todo das tradicionais conversas entre o pessoal do JP. Fazia tempo que um quórum assim não se reunia, e muito papo foi colocado em dia. Na maioria do tempo, conversas referentes à nossa revista NO ESQUINADO... a qual já estamos preparando com carinho o número #2.


Uma oportunidade para o time de Votuporanga numa bicicleta improvisada. Foto: Fernando Martinez. 

E no apito final não tivemos nenhuma alteração no marcador. Final de jogo: Mauaense 0-1 Votuporanguense. A derrota complicou a situação do Grêmio, que agora precisa vencer seus próximos jogos (Olé Brasil em Ribeirão Preto e Guaçuano em casa) para ir para a terceira fase. Já o CAV precisa também de duas vitórias e ainda torcer para que o Mauaense tire ponto dos seus adversários.

Após esse jogo voltamos com uma carona do Victor para a capital paulista. E quando estava retornando para o meu lar, recebi uma ligação do perdido seu Natal para seguirmos para mais um joguinho da Segundona...

Até lá!

Fernando