Procure no JP

terça-feira, 8 de julho de 2008

Empate não ajuda Batatais e nem Inter de Bebedouro

Olá,

Seguindo com a super cobertura do JOGOS PERDIDOS à décima segunda rodada da primeira fase do disputadíssimo Campeonato Paulista da Segunda Divisão, no domingo viajei a manhã toda pelas rodovias Anhanguera e Cândido Portinari para chegar até a belíssima cidade de Batatais e conferir, no Estádio Dr. Oswaldo Scatena o jogo entre o Batatais F.C. contra a A.A. Internacional da cidade de Bebedouro que era importantíssimo para as duas equipes que ainda estão lutando em busca da classificação à próxima fase.

Realizei uma viagem bem tranqüila que me possibilitou admirar as lindas paisagens da região, sendo que antes de ir para o estádio, fiz uma parada obrigatória na Igreja Matriz, numa visita imperdível ao seu interior onde estão alguns afrescos do consagrado pintor brasileiro Cândido Portinari, além de circular pelo jardim muito bem cuidado em torno da igreja, admirando os diversos arbustos podados de uma forma especial pela arte da topiaria (arte de esculpir arbustos). Vale a pena visitar e esse passeio ganha fácil o selo de qualidade do JP.


Igreja Matriz de Batatais e arbustos transformados em figuras pela topiaria. Fotos: Orlando Lacanna.

Após o agradável passeio, me dirigi ao estádio e como sempre acontece quando o JP aparece por lá, fui muito bem recebido pelas pessoas ligadas à direção do clube que fizeram questão de agradecer a minha presença e de me deixar super à vontade. Meu muito obrigado e um abraço a todos. Bem, agora vamos de futebol, mas antes temos a apresentação dos participantes da partida nas fotos abaixo:


Batatais F. C. - Batatais/SP. Foto: Orlando Lacanna.


A.A. Internacional - Bebedouro/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem formado por Marcelo Pietro Alfieri, seus assistentes Willian Jorge Dias e João Edílson de Andrade, além do quarto árbitro Paulo Sérgio dos Santos, acompanhado pelos capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

Tão logo o árbitro trilou seu apito iniciando a partida, a luta começou num jogo corrido e pegado, com o Batatais demonstrando muita ansiedade, provocando com isso vários erros de passe e afobação na hora da conclusão.


Tentativa de armação de ataque do Batatais. Foto: Orlando Lacanna.

Tudo transcorria normalmente quando, aos 22 minutos ocorreu um lamentável acidente envolvendo o atleta Gilvan da Inter que recebeu uma bolada à queima roupa no rosto que acabou provocando sangramento, além de uma convulsão que preocupou a todos que estavam no estádio. Houve pronto atendimento do médico e da equipe que fica na ambulância, ministrando os primeiros socorros e transportando o atleta para o hospital. A partida ficou paralisada por 17 minutos até que o médico e a ambulância voltaram. As informações naquele momento eram de que Gilvan já estava consciente e iria se submeter a uma tomografia craniana, bem como ficaria em observação por 72 horas. Todos nós do JP desejamos pronta recuperação ao jogador da Inter.

Após o susto, a partida recomeçou com o Batatais tentando ser mais objetivo e com isso apertar um pouco mais o setor defensivo do time de Bebedouro que em perigosos contra ataques obrigava o goleiro Paulo Cruz a se virar para impedir a queda da sua meta.


Boa defesa de Paulo Cruz em ataque perigoso da Inter. Foto: Orlando Lacanna.

Aos 38 minutos aconteceu o lance mais perigoso do ataque do "Fantasma da Mogiana" com o atacante Marcão conseguindo perder o gol mais feito da partida, concluindo para fora um rebote do goleiro Ronaldo, estando sozinho próximo à pequena área. Esse gol perdido faria falta no final da partida. Nos últimos minutos nada de mais importante aconteceu e o placar mudo ficou até o fim do primeiro tempo.


Chance de gol incrivelmente perdida por Marcão do Batatais. Foto: Orlando Lacanna.

Depois de um intervalo no qual fiquei conversando com o médico que atendeu o atleta Gilvan, a partida recomeçou do mesmo modo que havia terminado a primeira etapa, ou seja, o Batatais afobado e a Inter tentando jogar nos erros do adversário, num cenário de muita correria e marcação.


Atacante do Batatais sofrendo marcação do zagueiro da Inter. Foto: Orlando Lacanna.

A torcida local que compareceu em pequeno número demonstrava seu descontentamento com a equipe e a todo o momento "homenageava" o técnico e os jogadores do time da casa e, para piorar as coisas, o árbitro marcou de forma correta um pênalti a favor dos visitantes que resultou na expulsão do goleiro Paulo Cruz. O pênalti foi cobrado aos 19 minutos por intermédio de Rodolfo que colocou sua equipe à frente no marcador.


Bola no fundo da meta do Batatais e comemoração da Inter pela marcação do seu gol. Foto: Orlando Lacanna.

Em desvantagem no placar e com um homem a menos, o Batatais foi todo estabanado ao ataque e com isso permitia ao "Lobo Vermelho" criar perigo nos contra ataques e só não saiu o segundo gol dos visitantes por conta da inexperiência dos seus atacantes.

Quando tudo caminhava para o Batatais amargar uma derrota dentro da sua própria casa, eis que, aos 43 minutos o árbitro marcou outro pênalti de maneira correta, só que agora a favor dos anfitriões que foi cobrado e convertido pelo capitão da equipe Emerson, decretando o empate que caiu do céu.


Bola no alto da meta da Inter na marcação do gol de empate do Batatais. Foto: Orlando Lacanna.

A partida teve mais alguns minutos, tendo inclusive ocorrido a expulsão do atleta João Roberto da Inter, mas o placar não foi mexido, terminando com o resultado de Batatais 1 - 1 Internacional que não foi bom para nenhuma das duas equipes que permanecem fora do G4 do Grupo 2 e, além disso permitiram às equipes que estão à frente na tabela de classificação a chance de aumentarem a vantagem.

Apito final e início da maratona de percorrer mais 360 Km de volta para São Paulo, visando ter algumas horas de descanso porque no dia seguinte (segunda-feira) iria ter mais cobertura da Segundona pelo JP. É galera, até numa segundona estamos a postos.

Abraços,

Orlando

Nenhum comentário:

Postar um comentário