Procure no JP

segunda-feira, 14 de abril de 2008

Nacional e SEV ficam no empate em jogo dramático

Opa,

Depois do massacre do Linense no sábado cedo, a tarde foi reservada para mais um jogo do Campeonato Paulista da Série A3, campeonato que apareceu bastante aqui e que perderá espaço semana que vem com o começo da Segundona... Mas enquanto ela não começa, segui até o Estádio Nicolau Alayon para mais uma tarde de sofrimento com o Nacional enfrentando o SEV de Hortolândia. E novamente com a devida autorização oficial seguem aqui as fotos oficiais e exclusivas das equipes que só o JP proporciona a todos. E dessa vez tem também do trio.


Nacional AC - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


SEV - Hortolândia/SP. Foto: Fernando Martinez.


O árbitro Eduardo Constantino de Oliveira, os auxiliares Fábio Aparecido Ribeiro e Tatiane Sacilotti Camargo e o quarto árbitro Élvio Fábio da Silva posam com os capitães das equipes de forma exclusiva para as lentes do JP. Foto: Fernando Martinez.

Chegando lá encontrei o Victor e o David aguardando a partida e com eles os amigos Rodrigo Collucci, Fernando Correia e Paolo Gregori aproveitando a bela tarde de sábado na Comendador Souza. Tudo para ver o Nacional em mais uma chance de chegar ao G8. Depois de ter perdido para o Palmeiras B, a vitória era mais do que obrigação. Já o SEV perdeu seis pontos no TJD e agora espera um verdadeiro milagre em busca da salvação e da permanência na A3 em 2009.


Chance perigosa para o Naça no começo do jogo. Foto: Fernando Martinez.


Jogadores do SEV roubam a bola e saem para o ataque. Foto: Fernando Martinez.

O jogo começou com o Nacional em cima dos visitantes tentando fazer seu primeiro gol no bom e velho abafa. Depois de boas chances criadas, o time abriu o placar aos 18 minutos com um belo chute de Alex Braz de fora da área. Para a festa da torcida ferroviária, Naça 1 a 0. Mas o que era festa logo virou um novo tormendo. De forma incompreensível, o Nacional conseguiu a façanha de tomar a virada do SEV, que não se intimidou, aos 20 e 24 minutos. Nos dois lances o jogador Douglas Richard marcou de cabeça após cruzamentos na área. Em seis minutos, o Nacional já estava perdendo o jogo.


O jogador Leandrão sobe mais alto do que a zaga do SEV em ataque no primeiro tempo. Foto: Fernando Martinez.

A partir daí começou um novo festival de horrores em campo. O Nacional não conseguia se impor e todos seus ataques eram bisonhamente desperdiçados. O time não conseguia emplacar mais do que três toques no ataque seguidos e perdia a cabeça ao não conseguir chances concretas de gol. O SEV, jogando de forma precisa, quase ampliou em alguns contra-ataques.


Agora o goleiro Dida salva o SEV saindo de forma precisa do gol. Foto: Fernando Martinez.

Bom, mas o jogo avabou indo com a vitória de 2 a 1 para o SEV até o intervalo. Nesse intervalo conversamos bastante e muitas previsões para a Segundona 2008 foram feitas. A agenda de jogos está afinadinha para o começo do campeonato...

Então fomos atrás do gol defendido pelo arqueiro do SEV acompanhar o segundo tempo. Então vimos algo praticamente impossível acontecer, algo que não vemos toda hora e se alguém contasse não acreditaríamos. O Naça voltou disposto a empatar o jogo e aos 11 minutos teve a chance disso numa cobrança de pênalti. O zagueiro Ânderson, que colocou a mão na bola dentro da área e cometeu a falta foi expulso. Mas na cobrança, o jogador Alex Braz telegrafou o canto e o goleiro Dida (!) defendeu.


Exato momento em que o goleiro Dida defendia cobrança do camisa 11 do Naça, evitando o empate. Foto: Fernando Martinez.

Na saída de bola, aos 13, o jogador Candinho foi expulso e o Nacional tinha dois jogadores a mais e mais de meia hora para tentar empatar. Mas o time insistia em ridículos chuveirinhos na área, quando a opção mais óbvia era chutar de longe. O jogo então ficou mais propicio para o Naça quando o atacante Douglas Richard foi expulso aos 25 minutos. Com três a mais parecia que a coisa agora iria...

E foi mesmo, para o brejo. O time errava passes absurdos, cruzava a bola na área de forma afobada e não oferecia nenhum perigo para o SEV, que fez uma barreira com seus atletas restantes na entrada da área. O Nacional não chutava de longe e deixava a sua torcida à beira da loucura. Só por volta dos 35 minutos que o time passou a arriscar alguns chutes.


Lance plástico no ataque do Naça, tentando o empate a todo custo. Foto: Fernando Martinez.

E logo se confirmou que essa era a opção certa, o time criou boas chances nesses chutes e em duas vezes quase marcou, uma numa bola na trave e outra quando a bola passou raspando o canto esquerdo do goleiro. Mas de tanto insistir, Alex Braz se redimiu e marcou um gol espetacular aos 44 minutos, em bola de fora da área que entrou brilhantemente no ângulo esquerdo do goleiro.


Belíssimo gol do Nacional em bela foto. Notem que o goleiro se esticou todo, mas não deu. Foto: Victor Minhoto.

Nos acréscimos então quase o milagre acontece, mas a auxiliar anulou o gol que o Naça marcou aos 49 minutos alegando impedimento. Teve bastante reclamação, mas do nosso ângulo não deu para ver se estava ou não impedido o ataque do Naça. E no final ficou tudo igual: Nacional 2-2 SEV.

O Nacional vai se complicando cada vez mais nos jogos em casa e fica cada vez mais distante da classificação. E conseguir não ganhar de um time com três a menos em casa é tarefa que não é para qualquer um. Já o SEV ainda sonha com o milagre, mas a situação está complicada! E o JP deixa aqui também um abraço ao técnico do nacional Túlio Tanglioni, que passa por um monento extremamente complicado no âmbito familiar. Conversei com ele antes da partida e reitero aqui os desejos de força, superação e fé, para que ele possa sair bem desses momentos ruins que está passando. Um abraço a ele!

Depois do jogo fomos para o centro, aonde parte da trupe foi curtir um famoso mate na Avenida São João. Eu fui descansar para me preparar para a viagem do domingo cedo, aonde tivemos a chance de acompanhar um jogo que lembrou os velhos tempos...

Até mais

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário