Procure no JP

segunda-feira, 24 de março de 2008

Virada espetacular do Rio Branco em Americana

Olá,

Mesmo num final de semana que normalmente é dedicado à família, por conta da comemoração da Páscoa, o JOGOS PERDIDOS não deixou de estar presente a alguns jogos válidos pelos campeonatos de acesso do futebol paulista, sendo que a mim coube cobrir duas partidas válidas pela décima sexta rodada da primeira fase do Paulistão da Série A2. O primeiro jogo da minha jornada dupla estava marcado para a importante cidade de Americana para onde segui no sábado à tarde e me dirigi ao belo Estádio Décio Vitta, local da partida Rio Branco E.C. x A. Monte Azul.

Essa partida era de extrema importância para as duas equipes que estavam, situadas na parte de baixo da tabela de classificação (14ª e 15ª posições) e conforme o Presidente do Monte Azul comentou comigo, dependendo do resultado a sua equipe poderia ir do "céu ao inferno", pois se ganhasse poderia se aproximar do bloco das equipes que lutam pela classificação à segunda fase, mas se perdesse, chegaria mais próxima à zona de rebaixamento. A situação do Rio Branco era a mesma e, por isso, a partida prometia pelo seu caráter quase decisivo.

Antes de começar a relatar a partida, vamos com as fotos das equipes e dos árbitros que para variar são EXCLUSIVAS.


Rio Branco E.C. - Americana/SP. Foto: Orlando Lacanna.


A. Monte Azul - Monte Azul/SP. Foto: Orlando Lacanna.


Quarteto de arbitragem formado por Sérgio da Rocha Gomes, seus assistentes Luís Alexandre Nilsen e Alexandre David, além do quarto árbitro Felipe Macabeli Menezes, e os capitães das equipes. Foto: Orlando Lacanna.

O Tigre de Americana começou a todo vapor, indo com tudo para o campo de ataque e logo apareceram a habilidade e velocidade do meia Felipe de apenas 17 anos, que disputou a final da Copa São Paulo de Juniores. As boas jogadas de ataque do Rio Branco morriam nas mãos do experiente goleiro do AMA, Márcio Pintinho, que dava sinais que estava numa tarde inspirada.


Ataque perigoso do Rio Branco pela ponta esquerda. Foto: Orlando Lacanna.

Mesmo acuado no seu campo de defesa, o Monte Azul era perigoso nos contra-ataques e, num deles, chegou ao seu primeiro gol marcado por Jó aos 10 minutos em jogada que nasceu pela esquerda. Em desvantagem no placar, o Rio Branco acelerou o ritmo da partida e aumentou ainda mais o volume de jogadas ofensivas, mas o goleiro do Azulão estava iluminado e nada da bola entrar.


Mais um ataque do Rio Branco que resultaria em outra boa defesa de Márcio Pintinho. Foto: Orlando Lacanna.

Para piorar as coisas para os donos da casa, o Monte Azul chegou ao seu segundo gol aos 25 minutos por intermédio de Marcinho que recebeu livre em jogada que começou pela direita. A maioria das pessoas que estavam no estádio não acreditava no que estava vendo, pois o Rio Branco atacava quase sempre com perigo e, o Monte Azul, em duas escapadas marcou duas vezes.


Mais uma jogada ofensiva do time de Americana. Foto: Orlando Lacanna.

Apesar da desvantagem de dois gols, o time alvinegro não desanimou e continuou insistindo, porém o milagreiro Márcio Pintinho continuava intransponível, até que finalmente aos 37 minutos, chegou ao seu gol através de Kelisson que aproveitou uma sobra de bola após disputa pelo alto entre o goleiro visitante e o atacante Lincoln. Ufa! Finalmente o Rio Branco conseguiu marcar e tinha todo o segundo tempo para tentar virar o marcador.

Durante o intervalo o papo foi a excelente atuação do goleiro do AMA e a expectativa de até quando ele conseguiria parar o ataque do time de Americana. Partida reiniciada e a toada continuou a mesma, ou seja, o Rio Branco indo com tudo e o AMA tentando se segurar, mas aos 12 minutos não teve jeito, pois o Tigre chegou ao empate num gol marcado por Fabricio em jogada que teve início na meia esquerda e ainda contou com um desvío de Kim do Monte Azul.


Desolação do goleiro Márcio Pintinho com o gol de empate. Foto: Orlando Lacanna.

O razoável público presente foi a loucura e passou e incentivar ainda mais o time da casa em busca da virada, mas acabou tomando um baita susto aos 33 minutos quando o Azulão quase desempatou com a bola carimbando o poste direito do goleiro Cristiano.

A partida continuou num ritmo sensacional e, aos 37 minutos o zagueiro e capitão Diguinho colocou o Rio Branco em vantagem no placar, marcando o terceiro gol aproveitando rebote de Goiano do AMA que salvou em cima da linha fatal arremate após cobrança de escanteio pelo lado direito.


Goleiro do AMA sentado dentro da meta lamentando a virada. Foto: Orlando Lacanna.

Quando tudo indicava que o Rio Branco iria administrar o resultado favorável, acabou mostrando apetite para matar de vez o jogo, chegando ao seu quarto gol, aos 43 minutos, marcado por Matheus numa bela jogada pela esquerda que culminou com um chute cruzado que entrou no canto esquerdo de Márcio Pintinho.


Bola no fundo da meta do Monte Azul no quarto gol do Tigre. Foto: Orlando Lacanna.

Partida encerrada com o novo placar eletrônico apontando Rio Branco 4 - 2 Monte Azul num dos melhores jogos que acompanhei nesse ano. A vitória de virada levou o time da casa da 15ª para a 11ª posição com 20 pontos, ficando apenas a quatro pontos do grupo que briga pela classificação e, como ainda restam três jogos, poderá chegar. A situação do Monte Azul piorou, uma vez que permaneceu com 17 pontos e caiu da 14ª para a 16ª posição, ficando muito perto da zona de degola.

Apito final e início do meu retorno a São Paulo, para o tradicional descanso, pois no domingo pela manhã a cobertura iria continuar em outra cidade, mas isso é conversa para depois. Aguardem.

Abraços,

Orlando

Um comentário: