Procure no JP

quinta-feira, 20 de março de 2008

Juventus abre vantagem importante na Copa do Brasil

Opa,

Nessa quarta-feira à noite tivemos a chance de brindar o nosso maior número de visitas num só dia aqui no JP com uma partidinha básica de futebol. Mesmo sendo um jogo no fim do mundo, e no ingrato horário das 10 da noite, eu e o Jurandyr, acompanhados do amigo Fernando Correia, seguimos até a longínqua Santa Bárbara D'Oeste para um jogo da Copa do Brasil 2008. No Estádio Antônio Guimarães, vimos a partida de ida da segunda fase entre Juventus e Náutico.

Esse jogo serviu para mostrar que temos sim jogos perdidos em torneios "não-perdidos", afinal de contas, um jogo em campo neutro com o Juventus mandante, longe da sua cidade natal e em horário horroroso é algo que certamente não levaria 15 mil pessoas no estádio. Tanto que os bravos 206 presentes comprovam nossa teoria.

A viagem rolou de forma tranqüila e com muita conversa futebolística dentro do carro. A chegada em Santa Bárbara foi mais tranqüila ainda, e logo conseguimos a autorização para entrar no gramado nessa competição nacional e fazer as fotos oficiais do jogo. Pena que o Náutico não tenha sido gentil e não tenha posado, mesmo com cinco pedidos meus e dos fiscais da FPF. Pena, mas as fotos EXCLUSIVAS do Juventus e do quarteto de arbitragem seguem abaixo:


CA Juventus - São Paulo/SP. Foto: Fernando Martinez.


Quarteto de arbitragem da partida. Foto: Fernando Martinez.

O jogo inédito em competições oficiais prometia bastante, já que as duas equipes vivem momentos difíceis nos estaduais e a Copa do Brasil sempre é uma motivação a mais para os times. Depois das fotos então fui para as numeradas aonde se encontrava o pessoal juventino para curtir o jogo.

E qualquer tipo de medo de um massacre pernambucano foi dizimada nos primeiros minutos de partida. O Náutico criou apenas uma boa chance no começo e depois disso só deu Juventus. O time grená jogava de forma precisa e aos 16 minutos foi premiado com seu primeiro gol. Depois de cobrança de escanteio, o goleiro Eduardo fez uma defesa ótima em cabeçada de Gazaroto, mas a bola acabou sobrando para o atacante Lima, que completou e fez a festa dos doidos da Javari presentes em Santa Bárbara.


Atendimento rápido para atleta juventino no começo do jogo. Foto: Fernando Martinez.


Bola disputada na lateral de campo. Foto: Fernando Martinez.

O gol não diminuiu o ímpeto juventino, que continuou em cima do Timbu. Só depois dos 30 minutos que o onze pernambucano passou a ameaçar um pouco, mas todas as chances de gol foram defendidas pelo arqueiro Marcelo, em noite extremamente inspirada.


Uma visão geral do jogo entre Juventus e Náutico com a torcida pernambucana ao fundo. Foto: Fernando Martinez.

Enquanto isso o Jurandyr amarrava a faixa da Ju-Jovem na grade das numeradas e após isso um princípio de confusão quando alguns garotos quiseram queimar a faixa juventina (!?). Isso mesmo, até num jogo desses rolam essas coisas, mas aqui o ocorrido não desanimou a torcida dos Atomic Grapes, que não parava de gritar um só minuto.


Jurandyr fazendo as vezes de torcedor e arrumando a faixa nas numeradas e a dúvida se é uma peruca ou um cachorro atrás do gol. Fotos: Fernando Martinez.

No final do primeiro tempo veio com a vitória parcial dos grenás. Enquanto os times relaxavam, nós tentávamos descolar algo para beber no estádio, mas o jogo foi tão perdido que nem o pessoal dos bares apareceu. E como quem não tem cão caça com gato, pessoal mais desesperado da arquibancada foi se refrescar tomando água torneiral no banheiro de lá. Uma opção extrema, podemos dizer assim.

O segundo tempo então veio, e a esperança da torcida do Náutico para que o time melhorasse fez água logo no começo. O Juventus apresentava um futebol que ainda não mostrou no Paulistão e não dava espaços aos visitantes. E aos 6 minutos mais uma vez a torcida fez a festa. Numa jogada pela esquerda, a bola sobrou novamente para o atacante Lima, que invadiu a área e chutou cruzado. Juventus 2 a 0.


Detalhe da presença maciça da torcida Ju-Jovem em Santa Bárbara. Foto: Fernando Martinez.


Visão geral, agora de outro ângulo. Foto: Fernando Martinez.

O pessoal do Náutico não acreditava no que estavam vendo, o time jogando um futebol abaixo da crítica e sofrendo uma derrota parcial. Mas o Náutico então se lançou ao ataque e foi a vez da defesa juventina e do goleiro Marcelo fazerem suas partes. A defesa se mostrava impecável, e nas bolas que o Náutico conseguia chutar o goleiro grená foi perfeito, não dando nem rebote.


Tiro de meta batido pelo arqueiro do Náutico. Foto: Fernando Martinez.

Nesse tempo o Jurandyr já se encontrava atrás do gol defendido pelo goleiro do Náutico sem se preocupar com o amanhã e gritava sem parar motivando os jogadores do Juventus. E o time grená ainda perdeu a chance de matar de vez a classificação em duas ou três oportunidades de gol em contra-ataques desperdiçados.


Preparação para cobrança de falta dentro da área visitante no segundo tempo. Foto: Fernando Martinez.

E marcando bastante, mas sem ser violento, o Juventus neutralizou o ataque do Náutico até o apito final do árbitro. Final de jogo: Juventus 2-0 Náutico. Bela vitória dos paulistas, que agora podem até perder por um gol de diferença que ainda assim se classificam para a terceira fase. Mas jogar num Estádio dos Aflitos lotado e cheio de pressão não será nada fácil para os grenás, e o Náutico promete devolver a derrota dentro dos seus domínios.


Placar final da partida em Santa Bárbara D'Oeste. Foto: Fernando Martinez. [240511]

Bom, depois do jogo voltamos para São Paulo com muito rádio dentro do carro e direito até a um providencial lanchinho num restaurante na beira da Bandeirantes. Afinal de contas, ninguém é de ferro. E nesse meio-tempo novamente falamos sobre os jogos e viagens que ainda rolarão. Se a verba e o tempo permitir, muita coisa boa vem por aí...

E nesse fim-de-semana de Páscoa tem muito futebol!

Até lá

Fernando

Nenhum comentário:

Postar um comentário